in

Wesley: “Vou comemorar e muito”

Em coletiva de apresentação, Wesley não demonstrou receio em comemorar gol contra a SEP

Uma transação que já vinha sendo comentada desde a metade do ano passado chegou ao seu ponto máximo na manhã de hoje. Vestindo a camisa do tricolor em entrevista coletiva no CCT da Barra Funda, o volante Wesley participou de uma conversa com os jornalistas que durou cerca de 25 minutos.

Sobre as diversas perguntas a respeito de quando efetivamente o acerto entre o jogador e o Soberano havia sido firmado, o jogador sempre foi específico:

“Assim que terminou o Campeonato Brasileiro eu sentei, conversei com a minha esposa e a gente sempre conversa bastante. Ai eu resolvi tomar essa decisão porque eu tinha esse objetivo e queria ter um desafio novo na minha vida, eu sou movido por isso. Com a graça de Deus deu tudo certo nos trâmites que tinham que ser feitos e agora é comigo e com a ajuda dos jogadores que estão aqui para que a gente possa conquistar bastante coisa.”

+ Milly Lacombe admite erro em discussão com o M1TO 

Nem mesmo a questão de não ter chegado antes ao clube devido a uma não-liberação da diretoria rival antes do término do contrato tirou a calma do atleta, que falou sobre o tema com naturalidade: “Lógico que nenhum jogador gosta de ficar sem jogar, fiquei treinando em separado cerca de um mês, não tinha contato com o grupo… mas eu tinha contrato. Em nenhum momento eu deixei de ir no horário, eu sou profissional. Lógico que é triste, mas há males que vem para o bem. Agora eu vou ter um tempo a mais para me preparar e poder logo logo estar a disposição.”

O posicionamento de Wesley em campo também foi um elemento tratado pelo mesmo na coletiva, não escondendo sua preferência pela posição de segundo volante:

“Eu cheguei a Seleção Brasileira atuando como um volante que sai mais para o jogo, mas todos sabem que eu sou um jogador versátil, já atuei também como lateral-direito e acabei tendo um destaque. Mas a posição que eu mais gosto é de segundo volante, porém no que o Muricy precisar eu estarei a disposição para ajudar da melhor forma.”

Uma curiosidade que poucos conheciam era de que o jogador, ainda aos 14 anos de idade, chegou a fazer uma peneira no São Paulo, porém acabou reprovado. Questionado sobre isso, Wesley comentou de maneira superficial: “Um procurador que me trouxe na época e fez todos os trâmites na época para que eu pudesse fazer o teste… mas passou.”

Na última pergunta, Wesley disse que não haverá problemas de comemorar um gol diante do ex-clube:

“Vou comemorar, cara, eu trabalho pra caramba, fico longe da minha família. Com todo o respeito mas vou comemorar e muito, o gol é um momento mágico, seria até um desrespeito com os meus companheiros de hoje em dia se eu não comemorar.”

O que achou?