Vitor Bueno projeta um segundo semestre bem melhor para o Tricolor

O meia foi um dos últimos reforços do Tricolor no primeiro semestre do ano; ele vê com bons olhos o período de treinamentos da equipe

Em entrevista ao LANCE!, Vitor Bueno falou de sua adaptação ao Tricolor, das dificuldades de adquirir ritmo de jogo após ficar muito tempo sem entrar em campo em seu antigo clube, das projeções para o segundo semestre da equipe e de como tenta ajudar os jovens do elenco a lidarem com essa etapa profissional de suas carreiras em um grande do futebol brasileiro. 

Contratado em abril deste ano, o meia-atacante foi integrado ao grupo em meio às finais do Paulistão, ou seja, com as competições já em andamento, o que o colocava em um estado diferente dos demais companheiros, o que ele acredita que tem sido ajustado nesta pausa da Copa América.

“Sem dúvidas é muito importante. Cheguei depois de um período sem atuar, ainda buscando o melhor ritmo de jogo e o entrosamento com os companheiros. Com essa pausa para os treinamentos, tenho certeza de que vamos nos encaixar e fazer um ótimo segundo semestre pelo São Paulo”, disse. 

Vitor tinha consciência de que necessitaria de um pouco mais de tempo para readquirir a forma técnica.

“Eu sabia que levaria um tempo até readquirir minha melhor forma técnica. Apesar de estar treinando normalmente na Ucrânia, jogar é totalmente diferente. Mas creio que já estou adaptado à equipe e ao esquema do professor Cuca e estou pronto para ajudar da melhor maneira possível”, falou.

O jogador acredita que os resultados que não vieram antes de o elenco entrar de folga, serão alcançados no segundo semestre da temporada.

“A gente vinha de uma troca de comando, com a chegada do Cuca e de novos jogadores, incluindo eu, e demoramos um pouco para fazer o encaixe. Mas fizemos boas partidas, infelizmente os resultados não foram os esperados. Agora tenho certeza de que as coisas voltarão a acontecer da maneira com que o clube e a torcida merecem”, ressaltou. 

Por fim, o meia-atacante valorizou a qualidade dos jovens da base tricolor que estão recheando o elenco principal. Aos 24 anos, ainda jovem, ele diz tentar auxiliar os garotos a encararem as mudanças na promoção ao profissional.

“Apesar de eu ser jovem também, já tenho uma certa bagagem e tento ajudar os mais novos da melhor maneira. Já estive no lugar deles e sei a importância de ter alguém ao seu lado. Temos um grupo muito bom aqui no São Paulo, mesclando bem juventude com experiência”, finalizou. 

Fonte: LANCE! 
Foto: Divulgação