Tricolor reduz número de lesões em comparação a 2017

Mesmo com algumas lesões durante o ano, como no caso de Everton, 2018 foi a ano mais tranquilo para o DM em comparação com 2017

Nesta temporada, o São Paulo conseguiu diminuir o número de lesões comparado com o ano de 2017, que teve no total 55 problemas médicos. 

Em 2018, o São Paulo conseguiu abaixar esse número em 20%, totalizando em 44 lesões. Esta informação seria boa, se apenas três dessas não tivessem derrubado o desempenho da equipe e, por consequência, acabar com o sonho de todos os Tricolores de ver o time conquistar o título do Brasileirão.

Ao ficar lesionado, Everton ficou de fora durante três momentos, por um problema na coxa esquerda que tirou o jogador por nove jogos.

A ausência do camisa 22 foi a mais evidente, pois o Tricolor não conseguiu se manter na liderança da competição. Everton se machucou na 22ª rodada e logo no jogo seguinte o time perdeu a liderança para o Internacional.

Na rodada 25ª, com o retorno do atacante a equipe retomou a liderança, mas logo em seguida voltou a se machucar e o São Paulo perdeu a ponta da tabela e não conseguiu recuperá-la.

LEIA MAIS

+ Veja os confrontos da 1ª rodada e clássicos do Paulistão 2019
+ Além da abertura, Morumbi receberá mais dois jogos da Copa América

Everton fez muita falta na equipe durante a época da lesão, mas não foi o jogador que mais desfalcou o time. Quem segue em primeiro nesta lista é Rodrigo Caio. 

O zagueiro passou apenas duas vezes pelo DM, mas com uma grave lesão no pé, ficou de fora por 22 jogos. 

Outro jogador que foi bastante para o DM foi Anderson Martins, somando quatro no total. Os demais jogadores foram: Araruna (três), Diego Souza (três), Edimar (três), Hudson (três) foram os mais recentes a passar pelo DM.

De acordo com levantamento realizado pelo GloboEsporte.com, dos 44 problemas registrados, 23 foram de lesões musculares na coxa.

As pesquisas realizadas pelo GloboEsporte.com se basearam em informações contidas no site oficial e por informações apuradas por setoristas do clube. O período analisado foi de 01 de janeiro 2018 a 19 de dezembro de 2018. O critério que foi utilizado foi o veto do Departamento Médico do clube que impediram os atletas de entrar em campo.

Foto: Leandro Bernardes / Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *