in

Tricolor pode cobrar dinheiro do maior rival

Contrato de empréstimo de Pato abre brecha para cobrança do São Paulo ao SCCP

Estando ambos com dificuldades financeiras, o São Paulo pode acabar se aproveitando do empréstimo de Alexandre Pato para “tirar uma grana” do rival SCCP. Isso suportado pelo que consta em contrato feito com o arquirrival preto e branco de Itaquera.

Segundo informações da ESPN, que teve acesso ao conteúdo do documento, o tricolor tem direito de cobrar com juros a quantia necessária para acertar o salário do jogador caso a equipe que detém seus direitos atrasar por mais de dez dias os vencimentos já que, a partir daí, o São Paulo é o responsável por arcar com o custo. Ao todo, já são mais de sete meses que o SCCP não cumpre com suas obrigações.

O que é importante ressaltar é que, para pagar os atrasados do atacante, o São Paulo não necessariamente tiraria do próprio bolso. Isso porque, no momento que foi firmado o acordo entre os clubes, o rival apresentou uma garantia bancária de R$ 8,8 milhões, totalizando as despesas salariais referentes ao período integral do contrato.

+ Carlos Miguel Aidar “entre a cruz e a espada”

Se o crédito não for usado de forma imediata, existe um prazo de dez dias para que o rival são-paulino se acerte com o clube do Morumbi, entrando no valor da dívida acréscimos que podem ir de 10 (primeiro atraso) a 20% (a partir do segundo atraso), além de juros de 1% ao mês referente ao índice do CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

A única questão que o clube deve aguardar é que o próprio jogador solicite o clube do Morumbi para que as medidas jurídicas possam ser tomadas, algo que não foi feito em nenhum momento pelo camisa 11.

A situação está tão feia com relação a dívida do detentor dos direitos de Pato com o atleta que o próprio presidente do SCCP, Roberto de Andrade, ligou para o jogador dizendo que as pendências seriam acertadas, sabendo que os advogados de Pato estão a postos para conseguir o dinheiro caso haja a necessidade de acionar a justiça.

O que achou?