in

Diretoria do São Paulo tenta aprovar empréstimos bancários no Conselho

Tricolor busca R$ 25 milhões para garantir fluxo de caixa, mas objetivo é fazer contratações na reabertura da janela de transferências, em 18 de julho

O Conselho Deliberativo do São Paulo decide na próxima segunda-feira (27), às 18h (de Brasília) se aprova ao menos três empréstimos bancários já feitos pela gestão Julio Casares para ajudar no equilíbrio das contas do clube até o final do ano. Somado, o montante passa dos R$ 25 milhões.

Os membros do CD terão até 17h do dia seguinte para votarem e serão analisados três empréstimos: um de R$ 12,2 milhões com o banco Daycoval, feito em maio e com vencimento no mesmo mês em 2025, e dois com o banco Rendimento, de R$ 5 milhões, um em março com vencimento em setembro deste ano e outro de R$ 8 milhões em maio com vencimento para maio de 2025.

O São Paulo deu como garantia de pagamento ao banco Rendimento os direitos creditórios referentes às contribuições associativas do clube. E, no comunicado aos conselheiros, afirmou que o dinheiro ajudará o clube “no fluxo de caixa”.

Em abril deste ano, o Conselho Deliberativo aprovou o empréstimo de R$ 20 milhões feito pelo clube com a BTG Pactual, que tinha a mesma finalidade.

O orçamento do São Paulo para 2022, aprovado pelo Conselho Deliberativo, prevê a captação de R$ 120 milhões em empréstimos. O estatuto do clube, no entanto, exige que os contratos sejam submetidos à aprovação do órgão. Ao todo, o Tricolor acumula uma dívida de aproximadamente R$ 650 milhões.

Até agora, o Tricolor acertou apenas a contratação de Marcos Guilherme para a abertura da janela de transferências. O ex-atacante do próprio São Paulo conseguiu a liberação gratuita do Internacional e chega com contrato de risco, válido até o final do ano apenas.

Por: Rafael Ribeiro/ Lance!
Foto:

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara