Home > Destaques > Sasaki e Ratinho: o Tricolor na Seleção Brasileira

Sasaki e Ratinho: o Tricolor na Seleção Brasileira

Profissionais do São Paulo iniciaram neste domingo (17), na Rússia, a busca pelo hexa com a seleção brasileira

Com a tradição de sempre abastecer a comissão técnica da Seleção Brasileira, o Tricolor tem dois profissionais na Rússia para ajudar a equipe verde e amarela na busca do hexacampeonato: o fisioterapeuta Ricardo Sasaki e o roupeiroValdeci Leandro do Nascimento, mais conhecido como Ratinho.

“O trabalho tem sido bem desenvolvido, e isso naturalmente controla a nossa ansiedade. Representar o São Paulo é motivo de orgulho, porque represento os profissionais do REFFIS, que tem muita credibilidade”, afirma Sasaki, que é um dos responsáveis pelo Núcleo de Reabilitação Esportiva Fisioterápica e Fisiológica e que está no clube desde 1996.

Assim como o integrante do departamento médico, Ratinho também festejou a grande oportunidade na carreira profissional.

“Assim como os atletas, os membros da comissão técnica também realizam um sonho na Copa do Mundo”, revela o roupeiro, que acrescenta.

“E o São Paulo foi importante nesta realização profissional, porque me acolheu desde o início da minha trajetória e me proporcionou as melhores condições de trabalho”, completa Ratinho, que é funcionário do clube há quase 40 anos: começou como jardineiro e depois seguiu para a rouparia das categorias de base até chegar ao Centro de Treinamento da Barra Funda.

Na Rússia, a dupla continuará a tradição são-paulina de sempre ter profissionais fora das quatro linhas com a Seleção Brasileira, principalmente no departamento médico: há mais de uma década, o setor sempre conta com um tricolor entre os colaboradores. Luiz Rosan começou a sequência, que também teve Carlos Alberto Pressinoti (Betinho) e, agora, Sasaki.

“É uma grande responsabilidade representar o clube e o país na Copa do Mundo. Agradeço todos os profissionais da comissão técnica do São Paulo e ao clube, que foram importantes neste reconhecimento profissional”, finaliza o fisioterapeuta.

FOTO: cbf.com.br