Home > Mercado > São Paulo estuda liberar Luis Fabiano antes do fim do contrato

São Paulo estuda liberar Luis Fabiano antes do fim do contrato

Passando por problemas financeiros, diretoria do Tricolor vê com bons olhos a saída do atacante antes do término de seu vínculo com o clube

Atacante tem sondagens de muitos clubes, inclusive se alguns do Brasil, mas clube quer compensação e espera uma oferta um pouco maior para liberar o Fabuloso.

O atleta já sabe que seu vínculo não será renovado e recebeu sondagens de times da China, do Oriente Médio e do Orlando City, equipe de Kaká na liga dos Estados Unidos. O Tricolor, que enfrenta dificuldades financeiras, aceita liberar o atleta no meio do ano, quando a janela de transferências para o exterior for reaberta. No entanto, espera ser ressarcido.

+ GAROTOS DA BASE SÃO PROMOVIDOS AO TIME PROFISSIONAL

+ NOSTALGIA TRICOLOR – Relembre o bi-campeonato mundial em 1993

Como o contrato de Luis Fabiano tem gatilhos periódicos que aumentam os vencimentos, o atacante hoje recebe o maior salário do elenco, acima até de Rogério Ceni. O clube acredita que será um grande negócio receber algo pelo atleta e ainda economizar seis meses de pagamentos de salário e direito de imagem. O valor desejado pelo atacante de 34 anos ficaria entre R$ 2,5 milhões a R$ 3 milhões, mas é negociável.

Luis Fabiano não vive um bom momento no São Paulo. No domingo, quando o time perdeu por 1 a 0 para a Ponte Preta, ele completou a marca de 700 jogos na carreira, mas tem pouco a comemorar. É reserva no time comandado por Milton Cruz, disputou 15 partidas e marcou cinco gols. Ele foi muito atrapalhado por lesões e perdeu espaço no elenco para Alan Kardec, que atualmente se recupera de lesão no joelho, e Alexandre Pato, que vem atuando como titular.

Após a partida contra o Cruzeiro, no Mineirão, que decretou a eliminação tricolor na Taça Libertadores, Fabuloso e Pato se desentenderam porque o camisa 9 reclamou de uma afirmação do companheiro, que declarou que não aceitaria ficar no banco de reservas. Pato respondeu, e coube a Milton Cruz acalmar os ânimos.