Representante de Pato está na China para tentar recisão do contrato

Além do São Paulo, outros dois clubes brasileiros se interessam pelo atacante, que pode ficar livre no mercado em breve. Veja a situação de cada time

Pato pode ficar livre no mercado muito em breve. Um funcionário do estafe de André Cury, empresário do atacante, está na China para tentar a rescisão do jogador com o Tianjin Tianhai.

O contrato do atacante com os chineses vai até o fim de 2019, mas o jogador quer voltar ao Brasil e tem, pelo menos, dois clubes analisando o seu futuro neste momento.

São os rivais São Paulo, pelo qual Pato já declarou preferência, e Santos, que o presidente avisou que fará proposta. O Palmeiras, por enquanto, observa de longe.

Veja o que cada clube pensa do jogador: 

SÃO PAULO

Pato tem um passado recente de sucesso pelo Tricolor. Fato que o coloca sempre como alvo do time do Morumbi nas janelas de transferência. No momento, a diretoria do São Paulo tem a postura de esperar uma definição do futuro do jogador na China para tomar uma decisão.

Internamente, Pato é considerado um jogador importante, que agrada, mas muito caro. A possível contratação, porém, será naturalmente avaliada assim que o atacante ficar livre. Mas há algumas situações que pesam numa tentativa de investida do São Paulo. Cuca, por exemplo, acha difícil.

Até agora, praticamente todo o valor inicialmente programado para contratações já foi investido, cerca de R$ 45 milhões. Fora isso, a diretoria avalia outra carências no elenco. De qualquer forma, há um apelo da torcida por Pato, e o atacante está sendo monitorado.

SANTOS

O time também aguarda uma rescisão de Pato na China para dar um passo adiante na negociação. Na última segunda-feira, o presidente do clube afirmou que fará uma proposta pelo atacante caso ele fique livre.

Há um detalhe, no entanto, que pode atrapalhar o Santos. Recentemente, o empresário André Cury, que trabalha com Pato, entrou em rota de colisão com presidente santista. O motivo? A negociação do atacante Bruno Henrique com o Flamengo.

Durante as conversas, o Santos tinha como prioridade, além do dinheiro, receber o volante Ronaldo do time carioca. O jogador é empresariado por Cury, que teria pedido um alto valor de comissão e, por isso, o negócio não foi adiante, gerando esse mal-estar.

SEP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *