in , ,

Relato e crônica: São Paulo 2 (4) x (2) 0 Atlético Goianiense

Patrick foi o nome do jogo e possibilitou Tricolor buscar vaga na final nas penalidades (Foto: Miguel Schincariol / AFP)

Tricolor faz uma partida incrível no Morumbi, sai de campo com a vitória e a classificação à final da Copa Sul-Americana 2022

São Paulo não toma conhecimento do rival, vence no tempo normal, confirma nos pênaltis e garante a vaga na grande final da Copa Sul-Americana 2022. Patrick, em uma noite inspirada, marcou os dois gols são-paulinos no jogo. O time treinado por Rogério Ceni vai em busca do segundo título na competição continental.

O São Paulo volta à decisão da Sul-Americana após dez anos, quando em 2012, derrotou o Tigre, da Argentina, desta vez, enfrentará o Independente del Valle, do Equador, em jogo único a ser disputado no dia 1º de outubro, em Córdoba, na Argentina

O JOGO

Desde o começo do jogo, o São Paulo foi pra cima do adversário, e no primeiro ataque conseguiu um escanteio. No minuto seguinte, Igor Vinícius recebeu a bola na direita e cruzou buscando Calleri, Renan afastou.

Aos 4 minutos, o São Paulo conseguiu o que buscava: o primeiro gol. Após cruzamento na área, Dudu afastou mal, Luciano chutou, o goleiro deu o rebote e Patrick, livre de marcação, empurrou para o fundo das redes para abrir o placar.

Aos 9, parecia que a goleada viria até com certa facilidade. Calleri recebeu lançamento na esquerda do ataque, ganhou na corrida da marcação e iria sair com vantagem na área, porém a arbitragem anulou o lance alegando impedimento do argentino.

A pressão são-paulina seguia. Aos 11′, Reinaldo cruzou para a área e Calleri cabeceou. A bola explodiu na zaga rubro-negra e os tricolores pediram pênalti. Na sobra da jogada, Luciano finalizou de fora da área de esquerda e Renan espalmou para fora. Na cobrança do escanteio de Igor Vinícius, Diego Costa chegou desviando, para fora.

O Tricolor era muito superior e contando com o empurrão da torcida, aos 14′, mais um gol são-paulino, mas este não valeu. Patrick cruzou da esquerda, a bola desviou e ficou livre para Calleri, que disputou com Klaus e ficou livre para tocar na saída do goleiro. Mas a arbitragem cancelou o lance alegando falta do camisa 9 do Tricolor.

A pressão dos mandantes era total. Aos 18′, Reinaldo arremessou um lateral direto para a área, Calleri desviou a bola para trás e Igor Vinícius chegou sozinho para cabecear, mas a bola foi para fora.

Aos 25′, Nestor fez boa jogada na beirada da área pela esquerda e achou um cruzamento na medida para Calleri, mas o camisa 9, sozinho, subiu e testou para fora.

Três minutos depois, mais uma vez o ímpeto tricolor prevaleceu. Luciano recebeu cruzamento na entrada da área, tentou a finalização de primeira, mas pegou mal e mandou pela linha de fundo.

O bombardeio dos mandantes continuava. Aos 34′, Calleri recebe cruzamento na área, cabeceia para trás buscando algum companheiro e Luciano acabou tirando a bola na bicicleta armada. Na sequência da jogada, o camisa 9 recebeu dentro da área em posição de finalizar, mas Renan saiu para o abafa e travou a jogada.

Aos 38, Pablo Maia (que entrou no lugar do lesionado Gabriel Neves) tabelou com Calleri e Luciano na entrada da área e finalizou, mas o arqueiro goiano fez a defesa.

A única boa chance dos visitantes em todo o período inicial foi aos 39′. Dudu arriscou o chute da entrada da área, a bola é desviada e Churín acabou travado por Felipe Alves ao tentar aproveitar a sobra.

O primeiro tempo terminou ainda dando tempo para o São Paulo buscar mais uma jogada ofensiva. Aos 44′, Reinaldo cruzou com perigo, Calleri disputou com Wanderson, ganhou e desviou por cima do gol, raspando o travessão.

Na volta do intervalo, as coisas seguiam a mesma toada do primeiro tempo: um São Paulo atuante no ataque, mas com muita pouca objetividade.

Foram três chances seguidas desperdiçadas. Aos 4′, Reinaldo ficou com o rebote após a bola ser afastada da área, pegou de primeira de esquerda e mandou para fora. Dois minutos depois, Pablo Maia tocou para Calleri na área, e o camisa 9 fez o pivô tocando para trás. A bola ficou sobrada no meio, e Alisson pegou forte de esquerda. O chute explodiu em Klaus, e Patrick apareceu na sobra finalizando. Wanderson completou tirando o perigo.

Aos 8′ mais uma jogada pela esquerda: Reinaldo cruzou com perigo e Alisson chegou por trás da marcação testando. A bola chegou a quicar no chão antes de passar por cima do gol de Renan. Na sequência, Luciano recuperou a bola e abriu Patrick, que bateu forte, mas em cima da marcação.

A agonia nas arquibancadas crescia, assim como a calma tricolor dentro de campo. Aos 14′, Igor Vinícius cruzou no segundo pau e Calleri subiu livre para cabecear, para fora.

O placar das finalizações apontava 18 x 2 para o Tricolor, claramente apontando para um resultado injusto no Morumbi. Mas aí apareceu Patrick de novo. Aos 17′, Alisson recebeu a bola na direita e cruzou para a área. O Pantera Negra se antecipou à marcação de Dudu e finalizou para vencer o goleiro e marcar o segundo tento são-paulino.

O gol aliviou um pouco a aflição são-paulina, mas o relógio ainda apontava jogo no Morumbi. A torcida voltou a sofrer nas arquibancadas, quando aos 38′, Galoppo, um dos nomes que entraram no decorrer da etapa final, pegou uma sobra da área e bateu de primeira, para a defesa de Renan.

O argentino seria responsável pelas duas chances derradeiras do Tricolor. Aos 45′, cabeceou por cima do travessão um cruzamento de Igor Vinícius. No minuto seguinte, recebeu na entrada da área, tentou o chute, mas pegou fraco para a defesa de Renan, selando a decisão da vaga para os pênaltis.

PÊNALTIS

Reinaldo (São Paulo) – GOL – 1 x 0
Wellington Rato (Atlético-GO) – GOL -1 x 1
Calleri (São Paulo) – GOL – 2 x 1
Baralhas (Atlético-GO) – PARA FORA – 2 x 1
Luciano (São Paulo) – RENAN DEFENDE – 2 x 1
Shaylon (Atlético-GO) – GOL – 2 x 2
​Igor Vinícius (São Paulo) – GOL – 3 x 2
​Léo Pereira (Atlético-GO) – BATEU PARA FORA – 3 x 2
Galoppo (São Paulo) – GOL – 4 x 2

OPINIÃO

SOMOS O CLUBE DA FÉ!

Na noite desta quinta-feira (8), o Tricolor contou com um Morumbi lotado e uma incrível atmosfera, para conseguir a vitória por 2 a 0 no tempo regulamentar e em seguida, triunfar por 4 a 2 nos pênaltis, contra o Atlético-GO. A vitória assegurou nossa vaga na grande final da Copa Sul-Americana.

A chance de conquistar um título na temporada permanece muito viva no São Paulo.

Essa foi a segunda vez seguida ( e a terceira no ano), que a equipe comandada pelo técnico Rogério Ceni passou por um adversário nas penalidades. Já havia superado o Ceará nas quartas de final da competição continental, e antes, o Tricolor despachou o rival Palmeiras nas oitavas de final da Copa do Brasil desta forma.

Estou muito confiante para a disputa dessa taça e acredito que esse time irá deixar tudo em campo para conseguir.

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara