Pratto volta a cobrar a diretoria

O atacante mandou um recado para a diretoria do Tricolor e espera que os companheiros Hernanes, Petros e Jucilei também cobrem os dirigentes

Sem dúvidas nenhuma Pratto demonstra que é um dos líderes do São Paulo, se em campo está em uma má fase, fora dele ele vem bem, falando e cobrando a diretoria, coisa que todo são-paulino gostaria de fazer para o presidente medíocre que a gente tem.

Em uma entrevista para a SporTV, o argentino disse que já conversou com a diretoria e cobrou alguns pontos importantes para 2018. Veja abaixo:

CONTINUIDADE DO TRABALHO DE DORIVAL JÚNIOR

A continuidade de quem está indo bem não pode ser cortada. Há coisas de planejamento a serem observadas. O grupo está com a comissão técnica. Conseguiram dar um padrão ao time. Por mais que às vezes com a pressão não conseguíssemos mostrar o que eles queriam, o time sempre brigou para dar o bom funcionamento que eles queriam. Se eles e jogadores continuam é uma decisão da diretoria, mas acho que precisamos conversar. Eu mesmo falei para o Leco: precisamos conversar para planejar 2018 todos juntos e que não seja tão bagunçado como vem sendo nos últimos anos.

COBRANÇA PARA O LECO

Eu já falei com o presidente (risos). Temos que ajudar. Agora o Profeta, o Petros, o Jucilei têm que falar com eles também. A maioria dos jogadores mais experientes precisa falar com eles e com a comissão técnica, para que 2018 seja melhor e que o São Paulo volte a ser falado como time de títulos e não de zona de rebaixamento.

O PÉSSIMO ANO DE 2017

É uma frase feita, mas nos piores momentos você aprende mais do que nos melhores. O futebol de hoje não é como antes. Está tudo tão igual que qualquer um pode brigar em cima e embaixo. Nas nossas últimas dez rodadas, quando respeitamos todos, recuperamos o respeito dos times pelo São Paulo. Tem de ficar com isso. Tem que planejar 2018 melhor. Uma coisa que aprendi é que todos têm de estar com o mesmo objetivo. Se em um grupo uma parte dos jogadores tem um objetivo, outra parte dos atletas tem outro e a comissão está com outro é muito difícil. Você vê os times campeões e todos estão brigando pelo mesmo objetivo.

PLANEJAMENTO BAGUNÇADO

Bagunçado de sair jogadores no começo do Brasileiro. Todos times que conseguiram fazer um grande campeonato não fizeram grandes trocas do começo ao fim. Foi o que aconteceu com os times irregulares. Mesmo nós trouxemos alguns jogadores depois e quando entraram melhorou: Petros, Hernanes e Arboleda, que chegaram depois e tiveram uma adaptação rápida. O melhor é quando começa o ano e arma um time, um elenco. O melhor é tentar manter esse elenco no ano. Depois, se você tem de fazer trocas ou não, não pode vender quatro ou cinco jogadores… agora estou lembrando: Cícero, Lucão, Maicon, Luiz Araújo, Thiago Mendes…

[…] Para mim, e isso é uma opinião pessoal, não do grupo: quando começa um ano, tem de conseguir armar um elenco de 20 a 25 jogadores para tentar manter que seja 21 ou 22. Se saem um ou dois é outra coisa. E manter a base do time titular sempre. Como os times que estão lá em cima.

A SAÍDA DE MUITOS JOGADORES DURANTE A TEMPORADA

– De fora a gente conversava que não conseguia manter um time por seis meses ou um ano. Mas também é normal por entender o lado deles, de vendas e de necessidade. O São Paulo teve problemas de dinheiro nos últimos anos. Mas uma das coisas que também foi dita é que agora o clube está mais ordenado, pensando em colocar o time esportivamente (em um nível) mais alto. Dentro e fora você vê do mesmo jeito, mas quando está dentro você sofre. A tristeza, o sofrimento… você sofre, a cabeça fica mal e vem desconfiança. É normal. Mas acho que o próximo ano será bom. Acho não, tenho certeza.

AVALIAÇÃO DO ELENCO

É muito bom, mas perdemos jogadores importantes. Nas últimas dez rodadas tivemos um funcionamento. Precisamos melhorar o elenco, mas é bom. Agora daí para dizer que vai ser campeão ou não… é difícil. Quando você consegue uma sequência, como quando ganhamos de Santos, Flamengo e Atlético-GO, éramos o melhor do Brasil no último mês. Perdemos para o Grêmio e voltamos a ser os piores. Não é assim.

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO PESSOAL

Parecido com o ano do time: nos primeiros quatro ou cinco meses foi muito bom, fazendo gols, com o time em uma regularidade muito boa. E depois irregular como o time. Às vezes fazendo grandes jogos, como contra Palmeiras, Atlético-PR, Santos, Flamengo, Atlético-GO fora de casa e Palmeiras fora de casa, nos primeiros 20 minutos antes de ser mandado para o hospital (risos). Irregular. Também tive jogos ruins. O importante foi ter ajudado o time a sair da situação difícil.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *