Planejamento? Pra quê?

Ceni já disse certa vez, que o São Paulo parou no tempo, agora foi a vez de Raí falar sobre a gestão do clube…até quando esses erros seguirão?

Costumamos não dar valor às pré-temporadas realizadas no Brasil, aos campeonatos Estaduais, afinal, o que “vale” é o Brasileirão e a Libertadores.

Sim, são campeonatos de alto nível, que recompensam a equipe melhor estruturada, o elenco mais aguerrido e homogêneo e o clube que adota e segue um planejamento, ter uma diretriz de trabalho e colocá-la em prática (claro, há suas exceções – mas essa é a regra da vida, são as exceções que a fazem, não é mesmo?).

Há alguns anos o M1To já dizia, paramos no tempo, em entrevista recente, o Terror do Morumbi, agora, conselheiro administrativo do Mais Querido, já falava, não somos mais modelo de administração e o passo inicial, seria admitir isso.

O ego tricolor chegou ao ápice após o TRI-Brasileiro, o torcedor pode, podia, se inflar, afinal, como Muricy Ramalho disse após a terceira conquista seguida, será muito difícil alguém (inclusive o próprio tricolor) repetir este feito tão cedo…

Mas a diretoria?

A diretoria não podia, pelo contrário, era hora de aí sim, disparar (mais) e mostrar a razão de sermos o clube mais vitorioso do país (isso é um fato – nenhum clube do país, em tão pouco tempo de existência, tem tantas conquistas expressivas como nós). A falta de modernização da diretoria de futebol e o modelo de contratações realizadas em 2009, 2010 e 2011 (pra não falar de todos esses anos até hoje) não surtiram efeito, afinal, estavam aplicando um modelo utilizado desde 2005 (olha aí, pararam no tempo mesmo!).

A condução totalmente equivocada no tema Copa do Mundo, deixou JJ imaginando que o Morumbi e ele seriam os maiores do mundo, a “briga” política com SCCP e SEP, o superfaturamento no valor dos camarotes corporativos no Morumbi, que até outrora recebia 90% dos jogos e dos shows mais importantes da cidade, sucumbiram ao orgulho do finado dirigente…

E querem saber? Nada mudou até agora…

Ou o que dizer de nossa pré-temporada 2017?

Vamos fazer uma comparação com o time titular da Florida Cup, que iniciou o jogo decisivo com o seguinte time:

Denis (Sidão); Maicon, Douglas (Lucão) e Rodrigo Caio; Bruno (Júnior Tavares), Thiago Mendes, Cueva (Cícero) e Buffarini; Wellington Nem (Wesley), Chavez (Gilberto) e Luiz Araújo (João Schimidt).

Vejamos agora, a escalação de nossa última partida, contra o Fluminense, no Morumbi:

Renan Ribeiro (machucado na época da pré-temporada); Araruna, Lugano, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Jucilei, Thiago Mendes (vendido hoje ao Lille da França) e Cueva (Lucas Fernandes) ; Marcinho, Denílson (Thomás) e Pratto.

Jucilei, Marcinho, Denílson, Thomás e Pratto, não participaram da pré temporada, assim como outros nomes, como os recém-chegados Arboleda, Petros e Gomés, também não, e outros jogadores, como Maicon, Luiz Araújo, João Schimidt (que já sabíamos que seria negociado e mesmo assim foi titular até sua última partida), Neílton e Chávez, foram negociados ou retornaram aos seus clubes antigos, como o argentino, voltando ao Boca por conta de seu empréstimo.

Eu entendo que o calendário Brasileiro, com as aberturas das janelas, realmente obriga os clubes a se reforçarem e a venderem seus melhores jogadores, no meio da temporada, o momento econômico do país não é bom e sempre fomos um país exportador de craques, até ai…ok! Mas com parcimônia, né? Com um mínimo de planejamento…e acredito que infelizmente este não é (como não vem sendo) o nosso caso.

Mas eu duvido que estas vendas e a maioria das contratações de jogadores comuns, como Denílson, Thomás, e até mesmo Petros e Arboleda, por que não, (que vieram por conta da venda do Thiago Mendes e Maicon, respectivamente) estavam programadas…

Hoje, no mês de Julho, como se não bastasse estarmos a um ponto da zona de rebaixamento do campeonato Brasileiro, nem o torcedor, nem o técnico Rogério Ceni (que é o menos culpado nisso tudo) e muito menos a diretoria (essa sim, culpada por essa bagunça há nos), sabem escalar o tricolor, como diria o meu avô, “do 1 ao 11”, garanto que também não sabem o que fazer para que 2018 (sim, 2018!) seja um ano diferente.

Afinal, estamos em julho, e me parece até que 2017 já acabou, pelo menos por enquanto..

Torço – E ACREDITO – muito, que terminaremos o ano melhor do que atualmente, e com a esperança de termos um padrão de jogo e poder aplica-lo no ano que vem em uma nova era para o Tricolor, mais humilde, mas, vitoriosa como sempre!

#euteamotricolor #fechadocomom1to #unidospelospfc

FOTO: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *