in ,

Grandes de SP se unem e pedem que Athletico-PR não dispute a Copinha; entenda

São Paulo, Corinthians, Palmeiras e Santos apontam aliciamento de jovens por parte do Furacão e contam com apoio de outros clubes

Incomodados com um suposto aliciamento de jovens jogadores por parte dos paranaenses, São Paulo, Corinthians, Palmeiras e Santos assinaram um ofício no qual pedem à Federação Paulista de Futebol (FPF) que o Furacão não dispute a Copinha em 2023. Os paulistas já contam com o apoio de outros clubes para tentar impedir que os paranaenses participem do torneio sub-20 em 2023.

A Copa São Paulo de Futebol Júnior é um tradicional campeonato sub-20 que é disputado em janeiro e reúne clubes de todo o Brasil.

A Federação Paulista quer entender melhor o caso e saber se há provas de aliciamento. Nesse sentido, uma reunião com representantes de clubes deve acontecer na próxima semana na sede da entidade.

O Furacão está ciente do movimento e trabalha nos bastidores para tentar minimizar essa rejeição. Recentemente, o clube também ficou fora da Copa Nike, torneio sub-15 realizado anualmente. Para reduzir os efeitos dessa ausência, a equipe viajou para o Paraguai.

Não é de hoje que a postura do Athletico-PR nas categorias de base gera incômodo em outras agremiações. Em 2020, o Botafogo acusou o Furacão de aliciar um atleta de 13 anos. Já em março deste ano, o Retrô citou “atitudes insidiosas” dos paranaenses em relação a jovens jogadores.

Entre dirigentes de categorias de base o entendimento é de que o Athletico tem atitudes que desrespeitam o código de ética constituído pelo Movimento dos Clubes Formadores do Futebol Brasileiro, que foi criado em 2012. Uma delas seria negociar com familiares de atletas com menos de 14 anos que já estejam em algum clube.

Outra acusação é de que o Furacão busca jovens em outras cidades e estados e oferece hospedagem a eles em casas e pousadas próximas ao clube – a lei só permite alojar atletas acima de 14 anos.

Antes dos 14 anos, os jogadores são cadastrados com um registro de Iniciação Desportiva, que é renovado anualmente e conta para somatória do cálculo do Mecanismo de Solidariedade da FIFA.

A partir dessa idade os atletas podem assinar o contrato de formação. Ainda assim, esse é um vínculo considerado frágil judicialmente. O contrato profissional – este sim difícil de ser rompido – é permitido somente a maiores de 16 anos.

Cartolas de clubes de diferentes estados criaram um grupo num aplicativo de troca de mensagens sem a presença de um representante do Furacão. O espaço serve, entre outras coisas, para compartilhamento de denúncias de aliciamento de jovens jogadores.

Foto: Divulgação

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara