Home > Destaques > “Papai, porque o São Paulo só perde?”

“Papai, porque o São Paulo só perde?”

Como manter e criar os novos torcedores tricolores? Mais um desafio tricolor que eu, Rodrigo Morelli irei abordar nesse texto

Quero ver gol ao vivo!

Ouso dizer que pelo momento – mais que – conturbado que o Mais Querido vive, fiquei “travado” para qualquer dissertação sobre o que anda acontecendo lá atualmente.

Por conta disso, recorri a um grupo de amigos são-paulinos, sobre o que gostariam de ler aqui neste espaço, e não é que acertaram em cheio?

Como sabem, tenho dois filhos, pequenos, que ainda não sabem exatamente o que é perder ou ganhar um campeonato de futebol, são, obviamente são-paulinos e desde a barriga da mamãe, já frequentavam o Morumbi, assim como ainda o fazem.

O CD Coração de Cinco Pontas, é trilha sonora recorrente em casa na hora do ninar deles, e por mais que o vovô, que não é são-paulino, tente, os meus pequenos já tem sangue tricolor e não sucumbem às investidas alvi-negras do meu pai…

Morelli e seu filho. Foto: Arquivo pessoal

Mas algo me chamou a atenção depois deste meu amigo sugerir o tema da coluna desta semana. Durante o jogo do último domingo, contra o C.R.F., enquanto o jogo ainda estava 0 x 0, Filipe, meu filho mais novo, que deitado em meu colo, entretido (também) com um joguinho qualquer no celular, acompanhava meu sofrimento com a coleção de passes errados do Tricolor e sua recorrente falta de poder ofensivo na partida e, em um destes meus sofrimentos, ele simplesmente me faz uma pergunta:

“ Papai, por que o São Paulo nunca ganha?”

Quem é pai, vai entender o que senti no momento da pergunta, essa pergunta atualmente, está no mesmo nível daquelas clássicas, como: “papai, como eu fui parar na barriga da mamãe?” ou “papai, porque eu tenho pipi e minha irmã não?” e por aí vai…

Então eu mais que depressa, recorri à vídeos da internet e, ao fantástico time de Telê Santana e voltei à minha adolescência, revendo às defesas de Zetti, os gols de Muller e Raí e apresentando o verdadeiro São Pulo Futebol Clube ao meu filho mais novo.

Naquele momento, a resposta do meu pequeno estava respondida, o São Paulo não perde de ninguém.

Ou melhor, não perdia…

Depois que voltei à realidade, o jogo na Ilha do Urubu descambava e em menos de cinco minutos o momento atual do tricolor respondia e dava total sentido à pergunta do meu pequenino tricolor…

Não quero ouvir meus amigos dizerem que seus filhos já pensam em torcerem para o time A ou B, onde vamos parar? Há 20, 30 anos atrás, o que mais víamos por aí eram crianças são paulinas…e hoje? Temos que agradecer à tecnologia, e ao time de Telê Santana e Muricy Ramalho, por fazerem história e nos dar assunto e histórias pra contar.

Mas eu não quero mais recorrer à intenet e aos DVD´s para ver os gols do meu time, quero ir ao Morumbi e saber que o time que subir a escada do lado do visitante, já vai subir com as pernas tremendo, como todos os que jogavam contra a gente em 2005, pois sabiam que enfrentariam um gigante, campeão de tudo e que MANDAVA lá dentro.

Eu só quero ver gol, só quero que um dia, meu pequeno reformule essa pergunta, me perguntando de onde tiraram aquela frase, que dizia: “Torcer para o São Paulo é uma grande moleza”, frase que tanto ouvi nos anos 90 e com um sorriso no rosto, me diga, “nem precisa responder Papai, eu já sei, somos o São Pulo Futebol Clube!”

FOTOIgor Amorim / saopaulofc.net