Home > Destaques > Nostalgia Tricolor – Final do Paulistão de 1998

Nostalgia Tricolor – Final do Paulistão de 1998

Raí retorna ao Tricolor e despacha rival na final do Campeonato Paulista de 1998!

RETROSPECTO

O Tricolor chegou à final do Campeonato Paulista de 1998, após uma ótima campanha durante o torneio. Ainda na fase de grupos, o Tricolor foi o primeiro da “Chave 2”, em 10 jogos foram 8 vitórias, 1 empate e 1 derrota, garantindo o São Paulo nas semifinais da competição.

Já no quadrangular final, o Tricolor encarou o rival alviverde e passou sem maiores problemas. No Parque Antártica, o Tricolor venceu por 2 x 1 (Denílson e Dodô marcaram para o Tricolor) e no Morumbi  3 x 1 (França marcou duas vezes e um gol contra), com isso, o tricolor se consagrou um dos finalistas da competição.

Relembre o segundo jogo da semifinal:

FINAL DO CAMPEONATO PAULISTA DE 1998

O adversário do Tricolor era o time do Parque São Jorge, que havia aparecido para o cenário nacional apenas naquela década e o Tricolor que vinha de uma vitória tranquila para cima da Peppa, enfrentaria o outro finalista em ambos os jogos no Gigante Morumbi, como foi por tanto tempo o palco de todas as decisões em São Paulo, seja para o Tricolor ou para os outros times. O melhor estádio sem dúvida, não só pela sua grande capacidade.

PRIMEIRO JOGO

O primeiro jogo da decisão foi realizado no dia 3 de Maio e o resultado foi contra o Tricolor no primeiro jogo da final. 2 x 1 para o recém surgido do futebol brasileiro.

O gol marcado pelo Tricolor foi de autoria de Fabiano, após cruzamento na área a bola sobra para o meia que quase embaixo do gol, consegue cabecear e completar para o fundo das redes.

O placar negativo, daria o título ao São Paulo se ganhássemos a segunda partida por ao menos 1 gol de diferença, qualquer outro resultado nos tiraria o troféu.

A GRANDE FINAL E O GRANDE REFORÇO!

TRICOLOR5

O jogo foi realizado no domingo de 10 de Maio de 1998, mas na quarta-feira, da mesma semana que antecedia a decisão, já que as partidas foram disputadas em dois finais de semana seguidos, desembarcou na capital paulista um dos maiores ídolos do São Paulo Futebol Clube para disputar a final! Ninguém menos que RAÍ – O TERROR DO MORUMBI! Isso mesmo, o ídolo Tricolor que liderou os campeonatos do Brasileiro de 1991, Libertadores e Mundial de 1992 e Libertadores de 1993 estava de volta!

Desceu do avião na quarta, treinou antes do jogo e já foi escalado para a partida. Recém-chegado do Paris Saint Germain da França onde também se tornou ídolo, o São Paulo correu o máximo que podia para inscrevê-lo na Federação Paulista de Futebol, já que o regulamento permitia inscrições a qualquer momento do torneio.

O rival alvinegro não contava com o retorno de Raí e foi para a segunda partida pensando apenas no empate para tornar-se o vencedor da competição.

Já que Dodô vestia a camisa 10 na época (tão consagrada com Raí no início da década) o Terror do Morumbi foi oficializado com o número 23 para a decisão.

Cerca de 80.000 pessoas lotaram o Morumbi para acompanhar a final do Campeonato Paulista.

TRICOLOR12

COMEÇA O JOGO!

Logo no início da partida, o zagueiro Márcio Santos sentiu uma dor na coxa e teve de ser substituído por Bordon, que minutos depois, em uma cobrança de falta a longa distância, arriscou e a bola passou a esquerda do goleiro adversário.

Aos 22 minutos, França, o artilheiro da competição com 9 gols, fez boa jogada e chutou para a defesa de Nei em dois tempos, era pressão Tricolor!

Aos 26′, novamente o artilheiro Tricolor arriscou bom chute no canto, mas o goleiro foi buscar e a zaga completou quando a bola ia saindo para escanteio, quando chegavam a ofensiva Tricolor no lance. Um minuto mais tarde veio o susto, em cruzamento de Marcelinho Carioca, Cris perde de cabeça quase em baixo do gol e a bola passa por cima do gol de Rogério Ceni!

TRICOLOR13

O lateral Serginho faz boa jogada pela esquerda e cruza para Raí que se estica mas não alcança a bola que cruza a intermediária do adversário.

Aos 30 minutos o Morumbi fez a festa! Zé Carlos faz um balão no meio da grande área e França desvia de cabeça para trás, RAÍ livre, de cabeça mata o lance e manda a bola para o fundo do gol! Parece cinematográfico o retorno do ídolo Tricolor que marcava um gol decisivo no jogo logo em seu retorno! Festa no Morumbi! São Paulo abre o placar do jogo.

TRICOLOR3

Mais tarde, Denilson como sempre muito ousado, driblou Vampeta e cruzou, mas a bola passa por toda a zaga e ninguém desviou. O São Paulo era melhor na partida!

Já no final da primeira etapa, Bordon novamente em cobrança de falta chuta para fora, desta vez por cima do gol de Nei.

COMEÇA O SEGUNDO TEMPO!!

O primeiro lance de perigo da segunda etapa veio com França, que carregou a bola e chutou, mas o goleiro foi obrigado a espalmar para escanteio.

TRICOLOR2

A primeira chance do rival veio com o passe de Didi para Mirandinha, mas Rogério se antecipou e ficou com a bola no ataque adversário. Denilson continuou tentando, driblou o defensor e chutou para mais uma defesa do arqueiro rival.

Aos 5 minutos do segundo tempo, veio o balde de água fria. Didi recebe bola na meia esquerda e acerta um chute indefensável para Rogério, no ângulo esquerdo e empata a partida.

O Tricolor era melhor, mas um lance poderia estragar a festa da Nação Tricolor!

Após o baque, o São Paulo foi para cima, e após rebote da zaga, Carlos Miguel acerta um belo voleio de perna esquerda e a bola passa raspando a trave direita do goleiro que nada poderia fazer.

Novamente Didi acerta chute, mas Rogério estava ligado no jogo e salvou o Tricolor com boa defesa!

Aos 12 minutos do segundo tempo, Carlos Miguel lança França que rapidamente faz uma tabela com Raí e corre para dentro da grande área, o camisa 23 (Raí) com muita raça consegue de primeira devolver a bola e deixar França na cara do gol… ele não desperdiçava nenhuma oportunidade e deixou o Tricolor mais uma vez na frente! Na saída do goleiro, França com muita calma só tirou do goleiro para fazer a alegria da torcida Tricolor! Que dupla! Ninguém acreditava na partida que o Raí fazia dias depois de voltar ao Brasil! Tricolor na frente do marcador!

TRICOLOR7

Serginho minutos mais tarde, ainda cobra falta levou perigo ao gol do time rival, que contra-atacou em cruzamento de Marcelinho e Mirandinha cabeceou para fora, levando perigo ao goleiro Tricolor, mas não adianta aquele título tinha que ser do São Paulo!

Denilson era o inferno da marcação e driblou mais uma vez antes de acertar um chutaço de fora da área e obrigar o goleiro Nei a fazer boa defesa e desviar a bola para escanteio.

Aos 35 minutos do segundo tempo, Raí sob muitos aplausos foi substituído por Aristizábal. O ídolo não estava em sua melhor forma física e fez uma partida memorável, uma das melhores de sua carreira.

Dois minutos mais tarde veio a confirmação do título, e a jogada começou com ele! Denilson, o algoz dos rivais, em jogada que parecia morta à beira da linha de fundo, ele driblou o zagueiro e tocou para o cara que sabia o caminho do gol como ninguém – França! O artilheiro dominou a bola, girou e chutou colocado no canto direito e fer o Morumbi explodir com a festa do título!

O banco de reservas já comemorava a conquista heroica do Tricolor!

TRICOLOR6

Quase saiu mais um. Em cruzamento colocado da esquerda, Aristizábal na ponta direta da área chutou em cima do goleiro que espalmou para o meio da grande área e a zaga completou o lance.

O futuro perdedor ainda chegou com perigo em cobrança de escanteio, mas Zé Sergio tirou em cima da linha o cabeceio adversário nos minutos finais da partida. Até Fabiano se livrar do marcador para segurar a bola na linha lateral, quando foi derrubado e o árbitro pediu a bola e encerrou a partida!

Tricolor conquistava ali o Campeonato Paulista de 1998! Uma final heroica, na raça! Raí foi espetacular na decisão, incrível seu desempenho na partida, em um retorno relâmpago ajudou muito o São Paulo, além de França e Denilson que sem dúvida acabaram com o jogo! Gigantes do Morumbi!

Sem falar do jovem Rogério Ceni que já tinha o perfil de liderança e artilharia no Tricolor! Salvou o São Paulo em muitos momentos durante o torneio, e conquistou seu primeiro título como titular do São Paulo! E outros grandes jogadores que faziam parte daquele elenco como  Zé Carlos, Capitão, Marcio Santos Serginho; Alexandre Rotweiller, Gallo e Fabiano que completam a lista dos 11 iniciais comandados por Nelsinho Baptista!

TRICOLOR10

FRASES DO TÍTULO

‘‘Fiquei magoado, sim. E eu não fui o único. Só porque perdemos um jogo, a imprensa e a torcida entraram na onda de dizer que éramos imaturos, que eu falhei nos gols do Corinthians, que não era um bom goleiro. Demos a resposta em campo’’. Rogério Ceni

‘‘Acontece que não é todo domingo que chove’’. Rogério Ceni

TRICOLOR4

‘‘A vida é assim. Agora, vão dizer que somos o melhores, né?’’ O goleiro afirmou que o destaque da vitória de seu time foi o volante Alexandre. ‘‘Ele foi um gigante. Na Copa de 2002, tenho certeza de que estará lá.’’ Rogério Ceni

“O Nelsinho depositou confiança muito grande em mim. Eu disse que, se me dessem cinco jogos como titular, não sairia mais do time”. França

“Não é mole não, roubar a lusa para ser vice-campeão”. Torcida são-paulina

TRICOLOR11

CAMPANHA

Santos 2 x 3 São Paulo – 07/03/98
São Paulo 5 x 0 Rio Branco – 10/3/98
Matonense 2 x 0 São Paulo – 15/03/98
São Paulo 0 x 0 Portuguesa – 17/03/98
São Jose 1 x 5 São Paulo – 21/3/98
São Paulo 2 x 1 Santos – 28/3/98
Rio Branco 1 x 4 São Paulo – 02/04/98
São Paulo 3 x 1 Matonense – 05/04/98
Portuguesa 1 x 3 São Paulo – 07/04/98
São Paulo 6 x 1 São José – 12/04/98

SEMIFINAIS
Palmeiras 1 x 2 São Paulo – 19/04/98
São Paulo 3 x 1 Palmeiras – 25/04/98

FINAIS
Corinthians 2 x 1 São Paulo – 03/05/98
São Paulo 3 x 1 Corinthians – 10/5/98

14 jogos, 40 gols marcados e 15 sofridos.

FICHA TÉCNICA:

10.05.1998
São Paulo (SP)
Estádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi)

SÃO PAULO Futebol Clube 3 X 1 Sport C. CORINTHIANS Paulista

SPFC: Rogério Ceni; Zé Carlos, Capitão, Márcio Santos (Bordon) e Serginho; Alexandre, Fabiano, Carlos Miguel (Gallo) e Raí (Víctor Hugo Aristizábal); França e Denílson. Técnico: Nelsinho Baptista.
Gols: Raí, 30′/1; França, 11′/2; França, 37′/2.

SCCP: Nei; Rodrigo (Didi), Cris, Gamarra e Silvinho; Romeu (Edílson), Vampeta, Rincón e Souza (Marcelinho Souza); Marcelinho Carioca e Mirandinha. Técnico: Wanderley Luxemburgo.
Gol: Didi, 5′/2

Árbitro: Sidrack Marinho dos Santos
Renda: R$ 814.680,00
Público: 79.710 pagantes

Classificação final

Time PTS JGS VIT EMP DER GM GS SG AP
São Paulo FC (SP) 34 14 11 1 2 40 15 25 81%
SC Corinthians P (SP) 25 14 6 7 1 24 17 7 59.5%
A Portuguesa D (SP) 34 22 9 7 6 42 34 8 51.5%
SE Palmeiras (SP) 19 12 5 4 3 22 22 0 52.8%
Guarani FC (SP) 33 20 9 6 5 35 27 8 55%
Santos FC (SP) 14 10 4 2 4 23 14 9 46.7%
SE Matonense (SP) 27 20 8 3 9 35 42 -7 45%
Ituano FC (SP) 31 20 9 4 7 41 29 12 51.7%
Rio Branco EC (SP) 28 20 8 4 8 35 43 -8 46.7%
10º Mogi Mirim EC (SP) 24 20 7 3 10 40 35 5 40%
11º União São João EC (SP) 18 20 5 3 12 21 40 -19 30%
12º São José EC (SP) 21 20 6 3 11 28 48 -20 35%
13º AA Internacional (Limeira-SP) 24 16 6 6 4 25 24 1 50%
14º AE Araçatuba (SP) 17 16 4 5 7 18 24 -6 35.4%
15º AA Portuguesa (Santos-SP) 21 16 6 3 7 25 30 -5 43.8%
16º CA Juventus (SP) 13 16 4 1 11 26 36 -10 27.1%

Os campeões

JOGADOR P J V E D GM GS
Rogério Ceni (Rogério Ceni) GL 14 11 1 2 2 15
Capitão (Oleúde José Ribeiro) VL 14 11 1 2 0 0
França (Françoaldo Sena de Souza) AT 13 10 1 2 12 0
Fabiano (Fabiano Pereira da Costa) VL 13 10 1 2 6 0
Márcio Santos (Márcio Roberto dos Santos) ZG 13 10 1 2 0 0
Denílson (Denílson de Oliveira) AT 12 9 1 2 6 0
Zé Carlos (José Carlos de Almeida) LD 12 9 1 2 0 0
Alexandre (Alexandre Benedito Messiano) VL 10 9 0 1 0 0
Gallo (Alexandre Tadeu Gallo) VL 10 9 0 1 0 0
Carlos Miguel (Carlos Miguel da Silva Jr) MC 10 8 1 1 2 0
Dodô (Ricardo Lucas) AT 9 8 0 1 3 0
Serginho (Sérgio Cláudio dos Santos) LE 8 6 0 2 1 0
Edmílson (Edmílson José Gomes de Moraes) VL 7 6 1 0 1 0
Aristizábal (Víctor Hugo Aristizábal Posada) AT 7 4 1 2 2 0
Fábio Aurélio (Fábio Aurélio Rodrigues) LE 7 6 1 0 0 0
Cláudio (Cláudio Guadagno) LD 4 4 0 0 0 0
Sidney (Sidney Moraes de Almeida Júnior) VL 4 2 1 1 0 0
Adriano (Adriano Gerlin da Silva) MC 4 2 1 1 1 0
Marcelinho Paraíba (Marcelo dos Santos) AT 4 4 0 0 1 0
Marcelo Sergipano (Job Marcelo de Jesus) AT 4 2 1 1 1 0
Bordon (Marcelo José Bordon) ZG 2 2 0 0 0 0
Raí (Raí Souza Vieira de Oliveira) MC 1 1 0 0 1 0
Álvaro (Álvaro Luiz Maior de Aquino) ZG 1 1 0 0 0 0
Roger (Roger José de Noronha Silva) GL 0 0 0 0 0 0
Rogério Pinheiro (Rogério P. dos Santos) ZG 0 0 0 0 0 0
Paulo Sérgio (Paulo Sérgio de Rezende) GL 0 0 0 0 0 0
Nem (Rinaldo Francisco de Lima) VL 0 0 0 0 0 0
Reinaldo (Reinaldo Appolinário) MC 0 0 0 0 0 0
Picón (Fernando Picón da Silva) ZG 0 0 0 0 0 0
Marquinhos (Marcos Vicente dos Santos) MC 0 0 0 0 0 0

Assista aos melhores momentos da grande decisão:

#AVANTEMEUTRICOLOR