Home > Destaques > NOSTALGIA TRICOLOR – Final da Libertadores de 2005

NOSTALGIA TRICOLOR – Final da Libertadores de 2005

SPFC-Notícias-Nostalgia-Tricolor-Final-Libertadores-2005

Matéria de hoje revive a goleada sobre o Atlético-PR que selou o tricampeonato das Américas

Uma decisão de Taça Libertadores marcante para a nova geração de torcedores são-paulinos. Depois de tanto ter ouvido as façanhas do esquadrão dos anos 90, foi a vez dos mais novos poderem sentir a sensação de acompanhar um título continental do tricolor.

O JOGO

Primeiro tempo: A partida começou nervoso e com muitas bolas disputadas pelo meio. A primeira chance aconteceu, aos 9 minutos, com Lugano, que aproveitou cruzamento e cabeceou para fora. Logo após, o Atlético-PR assustou pela primeira vez a meta são-paulina. Fabrício bateu forte falta pela direita e a bola passou rente à trave de Rogério Ceni.

O São Paulo abriu o placar aos 16 minutos em uma bela tabela pela direita, onde Danilo recebeu passe de calcanhar de Luizão e chutou forte, o goleiro Diego espalmou a bola, no rebote, Danilo dividiu com André Rocha antes de a bola sobrar para Amoroso, sozinho, tocar para as redes. 1×0.

Após o gol, o jogo continuou muito disputado pelo meio e com muitas faltas. Aos 27, o lateral Cicinho aproveitou sobra de fora da área e chutou próximo ao gol de Diego.

O São Paulo teve chance de ampliar aos 41. O meia Danilo recebeu de Amoroso pela direita e chutou rente ao gol de Diego.

Aos 45, o atacante Aloísio girou em cima de Alex e foi derrubado, sendo anotado o pênalti em favor do Atlético-PR. Na cobrança, o meia Fabrício desperdiçou a chance do empate ao acertar a trave direita de Rogério Ceni.

Segundo tempo: Na segunda etapa, as duas equipes voltaram com a mesma formação. A partida começou também muito disputada e com jogadas fortes.

Aos 7 minutos, o atacante Luizão pressionou a defesa atleticana e conseguiu o escanteio. Na cobrança, o zagueiro Fabão subiu mais que a defesa atleticana e ampliou para o São Paulo. Na comemoração, o defensor saiu chorando para festejar. 2×0.

Desesperado, o Atlético-PR passou a explorar as jogadas aéreas e chutes de longa distância com o meia Fabrício, mas sem assustar o goleiro Rogério Ceni.

O técnico Antônio Lopes decidiu alterar a equipe aos 15, substituindo Lima e Marcão por Fernandinho e Rodrigo. No entanto, os dois não conseguiram mudar a partida.

O São Paulo procurou fechar mais a partida e explorar os contra-ataques. Aos 26 minutos, o atacante Amoroso relembrou a parceria de Guarani ao fazer bela jogada pela direita e passar para Luizão marcar o terceiro do São Paulo. 3×0.Com o gol, Luizão se tornou o brasileiro com mais gols na Libertadores, 29.

Após o gol, Autuori decidiu trocar Luizão por Souza. Emocionado com o gol, o jogador saiu aos prantos de campo em sua despedida do clube, após ter acertado com o Nagoya Grampus, do Japão.

Com mais espaço, o São Paulo teve a chance de ampliar aos 29. Após bela jogada pela esquerda, Amoroso recebeu sozinho e tentou uma jogada de efeito, perdendo a chance de marcar o seu segundo gol. Depois disso, ele foi substituído por Diego Tardelli.

Aos 34 minutos, em uma jogada confusa, o Atlético-PR quase diminuiu o placar, mas Evandro acabou chutando fraco, permitindo a defesa fácil de Rogério Ceni.

Após perder a chance de marcar aos 40, o atacante Diego Tardelli fechou o placar quatro minutos depois, após chutar forte e sem chances para Diego.

FIM DE JOGO, SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE, TRI CAMPEÃO DA COPA LIBERTADORES DA AMÉRICA!

Relembre como foi NA ÍNTEGRA mais um momento histórico do nosso São Paulo Futebol Clube:

A CAMPANHA

Primeira Fase
03.03.2005 – 3 X 3 –  THE STRONGEST Football Club (Bolívia)
09.03.2005 – 4 X 2 –  UNIVERSIDAD DE CHILE (Chile)
16.03.2005 – 2 X 2 –  QUILMES Atlético Club (Argentina)
13.04.2005 – 3 X 1 –   QUILMES Atlético Club (Argentina)
21.04.2005 – 1 X 1 –   UNIVERSIDAD DE CHILE (Chile)
11.05.2005 – 3 X 0 –  THE STRONGEST Football Club (Bolívia)

Oitavas-de-Final
18.05.2005 – 1 X 0 –  PALMEIRAS (SP)
25.05.2005 – 2 X 0 – PALMEIRAS (SP)

Quartas-de-Final
01.06.2005 – 4 X 0 – TIGRES (México)
15.06.2005 – 1 X 2 –  TIGRES (México)

Semifinais
22.06.2005 – 2 X 0 –  RIVER PLATE (Argentina)
29.06.2005 – 3 X 2 –  RIVER PLATE (Argentina)

Finais
06.07.2005 – 1 X 1 –  ATLÉTICO PARANAENSE (PR)
14.07.2005 – 4 X 0 – ATLÉTICO PARANAENSE (PR)

O JOGO DO TÍTULO

DATA: 14.07.2005
HORÁRIO: 21h45
LOCAL: Estádio Cícero Pompeu de Toledo, Morumbi – São Paulo (SP)
ÁRBIRTRO: Horacio Marcelo Elizondo (Argentina)
ASSISTENTE 1: Rodolfo Otero (Argentina)
ASSISTENTE 2: Juan Carlos Rebollo (Argentina)
RENDA: R$ 3.026.395,00
PÚBLICO: 71.986 pagantes

SÃO PAULO Futebol Clube 4 X 0 Clube ATLÉTICO PARANAENSE

SPFC: Rogério Ceni (capitão); Fabão, Diego Lugano e Alex; Cicinho, Mineiro, Josué, Danilo e Junior (Fábio Santos, 40’/2); Amoroso (Diego Tardelli, 33’/2) e Luizão (Souza, 28’/2). Técnico: Paulo Autuori.

Gols: Amoroso, 16’/1; Fabão, 7’/2; Luizão, 25’/2; Diego Tardelli, 43’/2.

CAP: Diego; Jancarlos, Danilo, Durvão e Marcão (capitão) (Fernandinho, 15’/2); Cocito, André Rocha (Alan Bahia, 37’/2), Evandro e Fabrício; Lima (Rodrigo, 15’/2) e Aloísio. Técnico: Antônio Lopes.

O São Paulo teve, neste ano, a sua melhor performance em 11 participações na Copa Libertadores. Venceu 09 partidas, empatou 04 e perdeu uma; marcou 34 gols, sofrendo 14. O centro-avante Luizão e o goleiro Rogério Ceni foram os artilheiros com 05 gols marcados.