Nene fala que jogava na posição errada com Dorival

O meia conta que com o ex-treinador tinha que voltar muito para marcar, mas agora só tem que fechar o meio, o que facilita para fazer as jogadas de ataque

Em entrevista para o SporTV, Nene contou que quando o técnico do Tricolor era Dorival Júnior, ele atuava mais pelas pontas, o que o obrigava a marcar os laterais adversários sem a bola.

“Com o Dorival eu estava jogando numa posição mais fixa pela ponta e tinha que voltar muito com os laterais, eles são uma fumaça do caramba (risos). Eu tinha que voltar muito. Não é que eu não conseguisse, mas para atacar eu não tinha a mesma força. Com o Diego (Aguirre) estou no meio, atrás do atacante ou como segundo atacante, só tenho que fechar mais o meio, facilita bastante. E na frente, que é o que sei fazer, tenho força e energia necessárias para fazer as jogadas de ataque”, falou.

Nene ainda falou sobre Diego Souza, a importância da Sul-Americana, a relação com Aguirre e muito mais. Veja:

LEIA MAIS:
+ Militão entra na mira de clube inglês

REAÇÃO DE DIEGO SOUZA AO NÃO SER RELACIONADO

Para nenhum jogador é fácil, mas ele está realmente lidando muito bem, trabalhando. Ele acredita no trabalho dele, nós também. Ele não baixou a cabeça, sabe o que o treinador tem de tomar algumas decisões, entende, e estamos realmente juntos. Ele sabe que é importante para nós. Grupo é isso, todos tendo essa união e dando o mesmo passo para conquistar objetivos.

Mandamos uma foto para zoar o Kingnaldo e eles saberem que estamos sentindo falta.

DEULO NA ARGENTINA

Eu jogo futebol para isso. Nas horas difíceis a experiência conta muito, espero contribuir com meus companheiros. Essa pressão tem de ser uma motivação, não podemos levar para o lado negativo. Eu nasci para fazer isso, levar essa pressão para o outro lado pode fazer você jogar ainda mais. É colocar na cabeça que será um grande resultado se fizer as coisas como você acredita.

RELAÇÃO COM AGUIRRE

Eu falo espanhol e já o conhecia. Estivemos juntos no Qatar por três ou quatro meses. Foi pouco tempo, mas como eu já o conhecia e à comissão, acredito que foi mais fácil. O que posso ajudar no dia-a-dia, com palavras ou tipos de treino. eu tento.

CONFRONTO COM OS ARGENTINOS

Temos que ter foco no jogo. São armadilhas para ficarmos nervosos e sairmos do controle emocional. Esse é o grande medo. É um campeonato diferente, especial, temos de ter uma intensidade muito grande, mas com inteligência. Temos que ser frios e focar no que fazer em campo, no que foi trabalhado nos treinamentos. O essencial é o controle emocional, não entrar em provocações nem deixar acarretar em nada mais grave.

IMPORTÂNCIA DA SUL-AMERICANA

 É uma coisa muito grande, uma competição internacional. O São Paulo entra em todas as competições para ganhar, a mentalidade é focar nisso. O treinador falou sobre como a Sul-Americana, a Copa do Brasil e o Brasileiro são objetivos muito importantes. Até pelo tempo que o São Paulo não conquista títulos. A pressão aumenta cada vez mais, acreditamos que esse (Sul-Americana) é um torneio que possamos conquistar, mas passo a passo, jogo a jogo.

Foto: Marcelo Hazan

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *