in

Na bronca com seus representantes

Depois de quase ser negociado com o futebol espanhol, jogador voltou ao São Paulo e entrou no segundo tempo do jogo contra o Fluminense

Após o fracasso das negociações com Valencia e Atlético de Madrid, o garoto Rodrigo Caio voltou a defender o São Paulo no último domingo e entrou no segundo tempo no jogo contra o Fluminense, no Morumbi.

Em passagem pela zona mista após o confronto, jogador reclamou da postura de seus empresários, os ex-jogadores Luizão e Deco, que são os representantes no Brasil do português Jorge Mendes.

“Eu tenho contrato com eles até o fim do ano. Depois disso, vou pensar. Eu fiquei chateado pela forma como foram conduzidas as coisas. Queria que pensassem na minha carreira não agora, mas a longo prazo. É como eu sempre falo: sou muito jovem e eu preciso pensar na minha carreira. Foi o que eu fiz desde o começo. Fiquei muito exposto. Eu não queria jogar um ano na Europa e, caso não desse certo, ficaria queimado. Vou pensar a longo prazo sempre. Jogador precisa de tempo e foi o que eu pensei a todo minuto”, desabafou.

+ VEJA COMO FOI O FRIO EMPATE ENTRE OS TRICOLORES ONTEM

+ MICHEL BASTOS EXPLICA XINGAMENTOS AO SER SUBSTITUÍDO

Rodrigo Caio também lamentou a forma com que as negociações foram feitas e tentou explicar os motivos que o fizeram voltar para o Brasil.

“Primeiro, aconteceram muitas coisas. Foi uma semana muito complicada para mim. Aconteceram problemas contratuais no Valencia e eu não achei certo. Essa foi a minha decisão de voltar, recomeçar no São Paulo. No Atlético também. Cheguei ao Atlético com pensamento de contrato de cinco anos. Chegaram e me ofereceram contrato de um ano. Meu pensamento nunca foi sair emprestado, e, sim, vendido. Infelizmente, não deu certo”, afirmou.

“O mais importante é que estou na minha casa. Volto com a cabeça focada. Estou num clube muito grande, onde fui formado. Vou procurar mostrar melhor para ganhar muitos títulos”, completou.

Por fim, Rodrigo Caio comentou os resultados dos exames médicos feitos na Espanha.

“Em relação ao meu joelho, eu fico muito tranquilo. O problema que eles falaram foi no joelho direito. E esse joelho eu operei com 15 anos, nunca senti nada. Tenho muita segurança nesse joelho. O esquerdo, eu tive uma lesão há um ano. Tenho convicção de que meus joelhos estão perfeitamente bons, aptos para jogar”, finalizou.

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara