Memória São Paulina – Leônidas da Silva

É hora de relembrar a história do Leônidas da Silva, um dos grandes ídolos não só do São Paulo, mas do futebol brasileiro.

Leônidas da Silva nasceu 06/09/1913 no dia Rio de Janeiro-RJ e iniciou sua carreira no São Cristóvão em 1929, após se destacar nas categorias de base carioca, Leônidas já chamava a atenção desde pequeno.

O “Diamante Negro” como era chamado, consolidou sua carreira como um dos melhores jogadores do mundo na era pré-Pelé, muitos o consideravam certamente como o melhor. Leônidas passou por muitos clubes antes de chegar ao Tricolor somente em 1942, aos seus 29 o atacante e goleador passou por Vasco, Peñarol e Flamengo por onde também construiu uma história vitoriosa, além de ser o destaque da Seleção Brasileira.

Também conhecido por “Homem Borracha” pela sua elasticidade com a bola, Leônidas da Silva chegou ao Tricolor em 1942 diante de uma grande festa da torcida Tricolor sob a recepção de 10 mil torcedores que o carregou nos ombros até a sede do clube, um reforço astronômico na época que lotou o Estádio do Pacaembu com 70 mil torcedor para ver o Diamante Negro estrear pelo São Paulo. Um fato curioso é que ele foi anunciado no dia 01/04, muitos até acharam que era piada devido ao dia da mentira.

O atacante iniciou uma era de ouro no São Paulo, erguendo os Campeonatos Paulistas de 1943, 1945, 1946, 1948 e 1949, sendo o grande destaque da equipe sendo o melhor jogador do torneio em todas as oportunidades em que saiu campeão. Pelo São Paulo disputou 212 jogos e marcou 141 gols.

Um grande feito de sua carreira foi a invenção da “bicicleta”, lance acrobático que ele inventou ou para alguns apenas aperfeiçoou, ainda quando jogava pelo Bonsucesso. O jogador repetiu algumas vezes mais tarde, pelo Tricolor aplicou a bicicleta a primeira vez em um Choque Rei, já a da foto mais famosa do lance foi numa vitória sobre o Juventus no Pacaembu por 8 x 0 no dia 13/12/1948. Um dos lances pela seleção brasileira chegou a ser interpretado com irregular, visto que o juiz não conhecia tal acrobacia.

Leônidas jogou no Tricolor até 1950 onde se aposentou e se tornou dirigente do clube e depois virou comentarista esportivo. Leônidas faleceu no dia 24/01/2004 aos 91 anos em Cotia-SP vitima das complicações do Mal de Alzheimer que sofria há algum tempo.

+ Relembre a história de Gino Orlando, o segundo maior artilheiro do Tricolor. Confira!

Veja a galeria de fotos do Diamante Negro (clique na imagem para ampliar):

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *