Home > Destaques > Jucilei: “Eu deixei bem claro para o presidente, quero ficar. Eu assino agora”

Jucilei: “Eu deixei bem claro para o presidente, quero ficar. Eu assino agora”

Volante sabe que o que ganha na China é surreal para o São Paulo pagar, mas já disse que aceita ter redução salarial para continuar no clube em 2018

Emprestado até o final do ano pelo Shandong Luneng, da China, Jucilei já deixou mais do que claro que quer permanecer no Tricolor para a próxima temporada. Porém, há um problema financeiro, quanto que os chineses vão pedir pelo jogador.

“Existe a possibilidade de eu ficar no São Paulo. O desejo é muito grande, como falei, eu fui bem acolhido no São Paulo, fui muito bem recebido. Em relação ao salário, transferência, é um caso a ser conversado. […]Eu acredito que não existe mais empréstimo, agora é compra. Quanto os chineses vão pedir, eu não sei. Por isso, não depende só de mim. “Jucilei, você quer ficar?” Eu assino agora. Vamos esperar, vamos focar nesses jogos que restam e vamos ver o que vai acontecer em dezembro”, disse.

O clube chinês não quer renovar o empréstimo e só aceitaria negociar o atleta para vende-lo. O jogador não tem ideia de quanto ele pediriam para o São Paulo, mas tem noção de que seria muito, já que ele está jogando bem na equipe são-paulina.

Identificado coma torcida, Jucilei tem tanta vontade de ficar, que disse que aceitaria ter uma redução salarial, já que sabe que o mercado da China é muito mais rico do que o do Brasil, e seria impossível ganhar o que ele lá, aqui no São Paulo.

“Eu sei que o que eu ganho na China é difícil no Brasil. Eu tenho que abrir mão de alguma coisa. Isso é fato. Mas eu deixei bem claro para o presidente. Eu quero ficar no São Paulo, mas não depende só de mim”, reforçou o jogador.

LEIA MAIS:
+ São Paulo terá que apertar o bolso se quiser contar com medalhões em 2018
+ Under Armour? Nike? Adidas? … Quem vem para 2018?

Depois de ficar cinco jogos no banco, entrando no segundo tempo, o volante voltou a ser titular e vem jogando muito bem, desarmando tudo o que vê pela frente.

“É difícil, o jogador sempre quer jogar. É fato. Ficar de fora é horrível, muito ruim. Nesses cinco jogos, continuei trabalhando, sendo profissional. Em nenhum momento, eu deixei de trabalhar nos treinos, duro. Esperei minha oportunidade, ela veio, e eu agarrei da melhor forma possível, falou.

Jucilei revela uma conversa que teve com o técnico Dorival Júnior sobre a sua posição na equipe.

“Minha posição, desde que eu cheguei ao São Paulo, sempre foi de primeiro volante, à frente da defesa. Em um jogo, o Dorival me inverteu com o Petros. Eu senti um pouco de dificuldade, não era a posição que eu estava fazendo. Conversei com ele a respeito disso, que a minha posição era à frente da defesa. Ele me ouviu, me deu uma oportunidade de jogar na minha posição. Graças a Deus, eu me saí bem”, finalizou.

Foto: Divulgação