in ,

Ídolos com funções diferentes

Ídolos, Hernanes e Lugano exercem funções diferentes na retomada do São Paulo neste brasileirão

Em recuperação neste campeonato, o tricolor do Morumbi conseguiu na última rodada sair da zona de rebaixamento, após uma virada épica contra o Botafogo; quando o time perdia por 3 a 1 e em 8 minutos virou para 4 a 3. O time tem dois ídolos (Hernanes e Lugano) exercendo funções diferentes nessa retomada.

Hernanes marcou o terceiro do São Paulo e empatou o jogo

Hernanes chegou, reestreou, fez gol e liderou a equipe na vitória diante do Botafogo e recebeu do então capitão Lucas Pratto, a braçadeira de capitão. Um dos líderes na última temporada que disputou pelo São Paulo (2008), já retomou sua posição e é um dos líderes da equipe. E deve atrair milhares de torcedores em sua reestreia no Morumbi, quinta-feira, frente ao Coritiba às 19h30; pois em sua apresentação, diante do Grêmio, foram mais de 51.000 pessoas, recorde de público no Campeonato.

Lugano acompanha a situação do time como espectador, desde que Dorival Júnior chegou a equipe ele só foi relacionado uma vez, no jogo contra o Vasco. Na qual acabou recebendo o terceiro cartão amarelo no banco de reservas por reclamação e acabou sendo suspenso da partida contra o Botafogo. Depois de uma renovação polêmica, o uruguaio dificilmente será titular, em condições normais, já que Arboleda e Rodrigo Caio vêm jogando bem e recentemente o tricolor contratou o zagueiro Aderllan.

Lugano incentiva os companheiros no vestiário das partidas

O camisa 5 do São Paulo disputou 11 partidas nesta temporada, um dos problemas para ausência de Lugano é o excesso de estrangeiro, pois o tricolor só pode relacionar cinco por jogo. A situação pode mudar para Lugano, pois o Boca Juniors confirmou interesse no lateral Buffarini e o atleta demonstrou interesse numa possível transferência para o time de La Bombonera.

 

Mas Lugano não reclamou e vem exercendo o papel de capitão sem braçadeira, onde mesmo sem ser relacionado vai aos jogos para motivar os companheiros de elenco e no banco ele é o que mais grita.

 

 

Foto: Divulgação

O que achou?

Escrito por Edywan Silvestre

Professor de Geografia e Graduando em Relações Públicas.
Apaixonado pelo São Paulo.