História em Três Cores – Silas

Jogador conhecido internacionalmente, de 1984 a 2004, jogou em clubes do Brasil, Portugal, Uruguai, Argentina, Japão e Itália

Silas do Prado Pereira nasceu em Campinas, São Paulo, no dia 27 de Agosto de 1965. Iniciou sua carreira na década de 1980, jogando nas categorias de base do São Paulo.

Em 1985, por intermédio do então técnico tricolor Cilinho, inicia sua carreira profissional.

No São Paulo:

No dia 17 de maio de 1984 jogou seu primeiro jogo como profissional, a princípio, de maneira tímida. O São Paulo acabou derrotado por 1 a 0 pelo Atlético Mineiro, no Torneio Heleno Nunes. Ao entrar em campo substituindo o meio-campista Pianelli, Silas estreou no futebol profissional.

Em 1985, devido ao grande sucesso do grupo porto-riquenho Menudo no Brasil, o time de garotos sensação do São Paulo ficou conhecido como “Menudos do Morumbi”.

Esse time era formado, entre outros, por Silas, Müller e Sidney.

O começo da carreira foi difícil: o primeiro contrato profissional só veio mais de um ano depois da estreia na categoria . Diz um ofício interno do clube que, nesse período e mais além, teve como moradia as dependências do próprio Estádio do Morumbi, especificamente a consagrada Escola de Futebol Vicente Feola.

Ainda em 1985 se tornou campeão paulista pelo Tricolor. No ano seguinte, o auge: campeão brasileiro justamente em Campinas, sua terra natal, e a estreia na Seleção Brasileira principal, onde disputou as Copas do Mundo do México e da Itália, em 1986 e 1990.


Pelo São Paulo ainda foi campeão paulista de 1987, antes de ser negociado com o Sporting Lisboa, em 10 de agosto de 1988. Retornou ao Mais Querido em 1997, em curta passagem.

Jogos disputados pelo SPFC: 170
Estreia: 17/05/1984
Último jogo: 09/12/1997
Gols marcados no SPFC: 35
Nascimento: 27/08/1965. Campinas (SP).
Títulos conquistados no SPFC:

Campeão Paulista de 1985 e 1987 e Campeão Brasileiro de 1986.

Na Seleção:

Sagrou-se campeão da Copa do Mundo Sub-20 na União Soviética pela Seleção Brasileira e foi escolhido como o melhor jogador da competição.

Na Seleção principal sua carreira se iniciou no dia 16 de março de 1986, num amistoso contra a Hungria, na cidade de Budapeste. Foi convocado para a Copa do Mundo de 1986, na qual o Brasil chegou ás quartas-de-final. No ano seguinte foi convocado por Carlos Alberto para a Copa América e só participou de um jogo contra a Venezuela.

+Leia mais sobre Recorde Craque de Ouro

Para a Copa América de 1989, novamente surge a convocação, desta vez pelo técnico Sebastião Lazaroni. O Brasil conquistou o seu quarto título na competição contando com quatro atuações de Silas.

No dia 20 de agosto de 1989, num jogo válido pela eliminatórias para a Copa do Mundo de 1990, Silas marcou seu primeiro e único gol pela Seleção, o terceiro do Brasil na vitória por 6 a 0 sobre a Venezuela, aos 37 minutos do primeiro tempo.

Com a regularidade das boas atuações pela Seleção e a confiança do técnico, Silas foi convocado para sua segunda Copa do Mundo. No mundial, o Brasil foi eliminado nas oitavas-de-final, tendo Silas atuado em três jogos.

Brasil campeão da Copa América de 1989

Depois do São Paulo:

No ano de 1988, Silas deixa o Brasil rumo ao futebol europeu. É contratado pelo Sporting de Portugal, juntamente com outras estrelas como Rodolfo Rodríguez, Carlos Manuel, Douglas, Hans Eskilsson e o treinador uruguaio Pedro Rocha. De todas as estrelas contratadas, os únicos que justificaram a badalação foram Carlos Manuel, Douglas e Silas, que foi o segundo artilheiro do time na temporada, atrás somente de Paulinho Cascavel.

Ainda no ano de 1990, Silas deixou o Sporting rumo ao Uruguai para atuar no Central Español, time em que, em uma passagem rápida, marcou três gols em dois jogos. Logo após isso, rumou para a Itália para atuar no Cesena, onde não conseguiu evitar o rebaixamento da equipe no campeonato. Na temporada seguinte, transferiu-se para a Sampdoria, ajudando a equipe a ficar em sexto lugar na Serie A Italiana. No final da mesma temporada, voltou ao Brasil para ser Campeão Gaúcho em 1992 e da Copa do Brasil desse mesmo ano pelo Internacional.

Antes de alçar novos desafios, Silas ainda foi Campeão Carioca em 1994 atuando pelo Vasco da Gama, ao lado de craques como Dener e Jardel.

Em abril de 1995, foi para a Argentina, onde, com 24 gols marcados em 95 jogos, tornou-se ídolo do San Lorenzo, vencendo o Campeonato Argentino daquele ano. É, até hoje, considerado o melhor camisa 10 que passou pelo clube na década de 1990.

+Leia mais Relacionados Audax x São Paulo

No ano 2000, retornou ao Brasil para ser Campeão Paranaense pelo Atlético Paranaense, título este o seu último conquistado. A partir disso, passou por clubes menos expressivos, até encerrar sua gloriosa carreira na Inter de Limeira em 2004.

Como treinador

Como treinador, Silas iniciou seu aprendizado sendo auxiliar de seu amigo pessoal Zetti por Paraná, Atlético Mineiro e Fortaleza. No Tricolor Cearense, no ano de 2007, Silas foi admitido como treinador principal após a demissão de Zetti. Já em meados de 2008, foi contratado pelo Avaí para o restante do Campeonato Catarinense daquele ano e para o Brasileirão da Série B, que vinha dias depois.

Ainda treinou Grêmio, Flamengo, Qatar, Náutico, América-MG, Portuguesa, Ceará e retornou ao Avaí completando três passagens pelo clube.

+Leia mais sobre dia especial para Bruno

Títulos

Como jogador

São Paulo: Campeonato Paulista: 1985, 1987 e Campeonato Brasileiro: 1986
Internacional: Campeonato Gaúcho: 1992 e Copa do Brasil: 1992
Vasco da Gama: Campeonato Carioca: 1994
San Lorenzo: Campeonato Argentino: 1995
Atlético-PR: Campeonato Paranaense: 2000
Seleção Brasileira Sub-20: Copa do Mundo Sub-20: 1985
Seleção Brasileira: Copa América: 1989

Como treinador

Avaí: Campeonato Catarinense: 2009
Grêmio: Campeonato Gaúcho: 2010
Al-Arabi: Copa Sheikh Jassem: 2011
Al-Gharafa: Copa Emir: 2012
Ceará: Copa do Nordeste: 2015

Prêmios individuais

  • Melhor Jogador do Campeonato Mundial de Futebol Sub-20 de 1985
  • Melhor Técnico do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2008 – Série B
  • Melhor Técnico (Troféu Gustavo Kuerten) de 2008
  • 2º Melhor Técnico do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2009 – Série A

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *