História em Três Cores – Pablo Forlán

Conheça mais o uruguaio Pablo Forlán, lateral direito campeão da libertadores e do mundo em 66 com o Peñarol e tricampeão paulista com o Tricolor

Forlán, nascido em 14 de julho de 1945 na cidade de Soriano, litoral oeste do Uruguai, foi um lateral direito revelado pelo Peñarol do Uruguai e bem conhecido por sua dedicação, apoio ao ataque e força física.

Peñarol:

Forlán é o primeiro jogador de pé, da direita para a esquerda.

Na equipe uruguaia, Forlán começou sua trajetória buscando espaço na equipe principal. Aguerrido, tinha destaque na qualidade do seus cruzamentos e no porte físico, que sempre lhe permitia apoiar e recompor a defesa com o mesmo vigor.

Em 1964 veio o primeiro título uruguaio, com 94% de aproveitamento e campeão invicto. O Peñarol de Forlán amassou os adversários e terminou o torneio 12 pontos à frente do segundo colocado, o Rampla Júniors.

O domínio do Peñarol no país predominou ao longo da década e a presença do lateral direito trazia ao time toda confiança, força e raça que precisavam como apoio ao maestro Pedro Rocha, gênio da equipe. Com a dupla o Peñarol foi penta campeão nacional, 1964, 1965, 1967 e 1968.

Em 1966 ambos foram campões da copa Libertadores, contra o River Plate, e do mundial interclubes enfrentando o poderoso Real Madrid de Gento, foram dois jogos e duas vitórias dos Uruguaios por 2 x 0.

Forlán ergue o Mundial de Clubes de 1966

No São Paulo:

O ano era 1970. O São Paulo Futebol Clube havia passado os últimos 13 anos construindo o estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi. Neste período, de 1953 à inauguração do estádio em 25 de janeiro de 1970, o Tricolor passou a sua maior seca de títulos até então. Todos os recursos iam para a construção do “Sonho”, do gigante estádio, na época o Maior Estádio Particular.

Na época o campeonato paulista era o mais difícil e mais valioso torneio do futebol nacional. O empresário Juan Figer, com a missão de ajudar o presidente Henry Aidar a enriquecer a equipe para o certame, buscou um lateral direito multi-campeão do Peñarol, seu nome: Pablo Forlán.

No Morumbi, já inaugurado, Forlán assinou contrato e foi para as tribunas ver o tricolor jogar. Aidar chama Figer e pede: “Diga à ele que estamos 13 anos na fila”.

Figer passou a mensagem, ouviu a resposta e disse ao presidente: “Dr Aidar, o Forlán disse que daremos a volta olímpica neste ano aqui no Morumbi”.

Ainda nas tribunas o Uruguaio deixou uma frase emblemática que ajuda a traduzir o comprometimento, raça e compreensão de valores no futebol:

“No Uruguai, jogador do Peñarol tem que odiar o Nacional. Como sei que o Palmeiras é um adversário forte, escolhi esse adversário para odiar. Vou Fazer de tudo para ganhar deles sempre.”

Entrada em campo da equipe do São Paulo em 1970

Em 1970 o lateral direito fez companhia ao eterno Roberto Dias, Terto, Gérson, Toninho Guerreiro e Paraná.

O campeonato era por pontos corridos, os grandes rivais do ano eram Palmeiras de Ademir da Guia/Dudu e a Ponte Preta de Teodoro/Dicá.

A competição era de pontos corridos, oscilamos logo no início da campanha, vencemos o São Bento por 1 x 0, perdemos para a Portuguesa e empatamos com a Ponte Preta. A dúvida já pairava na cabeça do torcedor tricolor. Sairíamos da fila?

E apesar das dificuldades o tricolor buscou a recuperação, lutou ponto após ponto e na penúltima rodada precisava de uma vitória para acabar com o jejum. A partida era em campinas e foi uma guerra. O Bugre desligou as luzes do estádio, catimbou e fez de tudo para impedir a vitória tricolor. Forlán considera este jogo o seu melhor com a camisa tricolor.

O São Paulo venceu por 2 x 1, gols de Toninho Guerreiro e Vágner, assim Forlán cumpriu sua promessa. Foi uma grande festa: entrou todo mundo no gramado e os jogadores foram para o vestiário. Lá, o presidente Aidar entrou fumando um charuto e pediu a camisa de Forlán. Outros pediram as outras peças e o jogador ficou só de sunga. O presidente ainda deixou o uruguaio emocionado com o depoimento dado à imprensa de todo o País, quando disse: “O São Paulo foi uma coisa até a chegada de Forlán e outra, depois”.

Time Campeão em 1970. Foi o fim da fila !
Forlán, terceiro da esquerda para a direita, recebe a faixa de campeão paulista.

 

 

O lateral direito ainda foi campeão paulista nos anos de 71 e 75. Disputou duas copas do mundo, 66 e 74.

Após sair do Tricolor em 1976, Forlán passou por Peñarol (UR), Cruzeiro, Nacional (UR), Sud América (UR) e Defensor Sporting (UR). Se aposentou em 1983 e na sequência se tornou treinador das categorias de base do São Paulo.

 No total foram 243 jogos, oito gols e três títulos no Tricolor.

Títulos:

 Peñarol

  • Campeonato Uruguaio: 1964, 1965, 1967, 1968 e 1977
  • Campeonato BrLiguilla Pré-Libertadores da América: 1979 e 1981
  • Copa Libertadores da América: 1966
  • Mundial de Clubes: 1966

São Paulo

  • Campeonato Paulista: 1970, 1971 e 1975

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *