História Em Três Cores – Vitor

Quem seria Claudemir Vitor Marques? Se disser que ele jogou pelo São Paulo na Libertadores de 1993 você se lembra?

Sim, Claudemir Vitor Marques é o Vitor, o lateral direito que fez história com o São Paulo na Taça Libertadores de 1993.

O homem conhecido por muitos como Vitor tem um nome desconhecido para maioria. Claudemir Vítor Marques nascido no dia 28 de setembro de 1972, na cidade de Mogi Guaçu, São Paulo, é um ex-futebolista brasileiro.É um dos poucos jogadores que conquistou três vezes a Taça Libertadores  por São Paulo, Cruzeiro e Vasco. Na edição de 1992 ele ainda não estava inscrito, embora já fizesse parte do elenco profissional.

837524538738

+Leia mais sobre HETC Dodô

No São Paulo:

523480638

Jogava como lateral direito e sua principal característica era sua velocidade. Surgiu no São Paulo pouco depois de Cafu, também lateral-direito.

Com dois jovens promissores para a mesma posição, Cafu acabaria deslocado para a meia direita.

Em 1993 no jogo contra a Universidad Católica (Chile),Vítor marcou um dos cinco gols são-paulinos na goleada por 5 a 1 Chile, na primeira partida da decisão da Libertadores.

Essa época coincidiu com uma grande fase em sua carreira, incluindo suas duas únicas partidas com a camisa da seleção brasileira que aconteceram em novembro de 92 contra a Polônia e em março de 93 contra o Uruguai.

Pós São Paulo:

Pessoas do mundo inteiro conseguiam enxergar em Vitor um grande lateral e não demorou muito para que ele fosse emprestado ao Real Madrid (Espanha) , que só o teria aceitado por não conseguir trazer Cafu, mas que enxergou talento no garoto. Porém ele não teve grandes atuações no clube madridista e o próprio Vítor admitiu que não passou por boa fase na Espanha.

Em entrevista ao Uol Esporteem 2011 Vitor disse: “Eu estava muito bem no São Paulo e fui para o Real. Cheguei lá no início da temporada deles. Colocaram-me para fazer só treino físico. Mas eu já estava voando. Isso me prejudicou. Eu entendo que foi o momento errado de ir para o Real. Fiz poucos jogos, sofri lesão e praticamente não teve ninguém para me tratar. Me recordo de fazer sozinho exercício de recuperação na academia sem nenhum médico do clube por perto. O Cerezo tinha até me aconselhado: ‘Fica até o fim do ano no São Paulo e vai para o Real só depois.’ Mas não me arrependo. Foi muito positivo para mim.”

Pouco menos de seis meses no Real, Vitor estava de volta ao Morumbi, onde disputou a temporada de 1994, mas no início do ano seguinte foi emprestado ao SCCP. O clube o saudou por causa da semelhança física com o ex-lateral-direito Zé Maria.

Conquistou títulos pelo no mesmo ano. De lá foi pro Cruzeiro onde foi novamente campeão da Taça Libertadores em 1997. Em 1998 foi pela terceira vez campeão da Libertadores por um novo clube, o Vasco.

+Leia mais sobre HETC Mineiro
+Leia mais sobre HETC Careca

54019840

Atualmente:

Nos seus últimos anos de carreira Vítor atuou em times menores, como Inter de Limeira, Osasco, Ceará, Mogi Mirim, Juventus e Primavera.

Seu último clube foi o Guaçuano, equipe de sua cidade natal, onde encerrou sua carreira, em 2010, quando seu contrato não foi renovado.

Depois de parar de jogar, Vítor passou a trabalhar em projetos sociais voltados a crianças carentes da cidade de Artur Nogueira no interior de São Paulo e também joga pelo time máster do Tricolor, junto com ex-jogadores do Mais Querido.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *