Falhas coletivas são o reflexo dos problemas de finalização do São Paulo

O time, que vem muito desorganizado em campo, tem problemas no ataque. Nos últimos três jogos, acertou o gol adversário em apenas cinco oportunidades

No último Majestoso, o São Paulo foi para o intervalo da partida sem ter acertado nem um chute sequer no gol adversário. A estatística ajuda a entender o quão ruins têm sido as atuações do Tricolor neste início de temporada.  

Somados os jogos contra Ponte Preta, Talleres e SCCP, o São Paulo finalizou cinco vezes em direção ao gol. Neste período, o Tricolor apenas marcou no clássico do último domingo.  

Olhando apenas os números (dois gols nos últimos sete jogos), a impressão pode ser que apenas o ataque não está funcionando. Entretanto, é importante ressaltar que todos os setores da equipe não estão apresentados os resultados esperados no clube. Com isto, os jogadores da frente ficam sem função e saem de suas posições. 

O meio de campo, principal problema do São Paulo até aqui na temporada, tem demonstrado extrema dificuldade para levar a bola da defesa até o ataque. A lentidão dos volantes na transição e a falta de criatividade dos armadores deixa os atacantes sem muita opção nas partidas. 

Os pontas, acostumados a irem para a linha de fundo e a invadirem a área adversária, também não têm rendido bem nos últimos jogos. A bola até chega aos lados do campo, mas não há evolução nas jogadas. A falta de aproximação e, principalmente, triangulação geram isso.  

Com o meio de campo lento e previsível, os zagueiros e laterais passam a ser os jogadores que mais ficam com a bola durante o jogo. Os defensores iniciam as ações ofensivas do time e, com isso, proporcionam tempo e também espaço para os adversários se arrumarem. Impacientes com a não evolução das jogadas, os atacantes têm deixado suas posições para tentarem ajudar na criação.  

Combinados, estes fatores ajudam a decifrar desorganização do São Paulo em campo. Uma das consequências diretas disto são as poucas finalizações, como temos visto nos últimos jogos. O problema da equipe é coletivo, e não apenas do setor ofensivo. Há muito o que melhorar no Tricolor.

Foto: Marcos Ribolli
Fonte: LANCE! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *