David Neres é atacante, mas nem sempre foi assim

Um dos destaques do Ajax, David Neres foi revelado no São Paulo e contou histórias da base Tricolor

Vendido ao time holandês por 12 milhões de euros (cerca de R$ 51 milhões) no começo de 2017, o jogador teve um começo de carreira nada convencional. Ainda nas categorias de base do São Paulo que chegou aos 10 anos, após se destacar como atacante por um time de várzea no bairro de Perus, e em uma escolinha de Pirituba.

“Eu tinha acabado de chegar e teria um jogo logo de cara. Tinham dois meninos e me perguntaram: ‘Quem faz volante?’ Eu, para não ficar de fora do time me candidatei. Nesse jogo, fiz dois gols atuando como volante (risos)”, disse David Neres, ao ESPN.com.br.

“Eu marcava muito e ia para o ataque, mas sempre falava: ‘Não sou volante, me tira daqui. Meu lugar não é aqui (risos)’. Os caras falavam: ‘Não, você é volante’. Eu não gostava de jogar assim, não me sentia bem”, admitiu.

E tem mais. O garoto chegou a atuar em funções ainda mais defensivas.

Teve jogo que não tinha zagueiro e fui para a zaga. Teve um campeonato que joguei todo de lateral esquerdo. Na lateral, eu nunca ficava na linha da defesa, eu sempre ia lá pra frente (risos). Não tinha aquela noção de posicionamento”, explicou.

De tanto insistir na mudança, o jovem recebeu a chance de virar atacante aos 14 anos. “Eu aprendi a marcar e hoje tenho facilidade para isso”, reconheceu.

Em 2015, o jogador teve a chance de treinar entre os profissionais por duas semanas. Ao retornar para a base, ele integrou uma geração vencedora.

“Eu retornei em setembro de 2016 ao sub-20 e fiz alguns jogos. Voltei a treinar entre os profissionais e descer para jogar na base. Depois que fizemos 5 a 0 no Corinthians (no time sub-20 em 2016) tudo mudou”, contou.

Com o destaque no clássico, o técnico Ricardo Gomes efetivou de vez o garoto, que passou a ser relacionado para a equipe principal. Foram nove partidas no banco de reservas antes de estrear contra o Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro de 2016.

“Estava achando que não ia entrar naquele jogo. Estava no aquecimento e o Ricardo Gomes chamou alguém. Eu estava ao lado do Luiz Araújo, que sempre entrava nos jogos, e achei que era para ele. Por isso, nem fui, fiquei lá parado. Daí o pessoal do banco gritou: ‘Não, não. É você quem vai entrar, David!’ (risos)”, afirmou.

“Eu pensei na hora: Vamos lá, então (risos). Bateu aquele frio na barriga, mas tentei manter a tranquilidade. Estava 1 a 0 para eles e viramos o jogo por 2 a 1 fora de casa. Respiramos no campeonato”, relatou.

Após uma elogiada estreia, o atacante marcou seu primeiro gol como profissional na partida seguinte, na vitória por 2 a 0 sobre a Ponte Preta.

“Na hora eu nem acreditei. Pensava comigo: ‘Eu cansei de ver jogos do São Paulo aqui no Morumbi e hoje estou fazendo um gol aqui com a casa lotada. Na hora imaginei tudo”, recordou.

Foram apenas oito jogos pelo clube tricolor antes de servir a seleção brasileira sub-20 no Sul-Americano de 2017, no Equador.

“Antes deu ir para seleção falaram que tinham algumas propostas, mas nem achei que fosse verdade. Estava tranquilo. Nisso, eu fui para o Sul-Americano e vi que estava sério. Fiquei de fora de tudo e continuei jogando”, garantiu.

“Quando eu vi que ia sair mesmo faltava um dia para o fim da janela de transferências. Foi corrido para caramba, assinei o contrato no Equador mesmo”, disse.

Após o final da competição, que terminou com o Brasil na quinta posição e fora do Mundial sub-20, David já tinha destino certo. “Nem tive tempo de me despedir do São Paulo, voltei para casa e já fui embora para Holanda”.

“Na hora que fiquei sabendo que ia para o Ajax eu fiquei feliz. Todo jogador sonha com isso. Quis ir logo de cara. Mas quando vi que tinha fechado, daí deu aquele susto. Pensei: ‘Agora eu vou mesmo, vai mudar tudo’ (risos)”, finalizou.

VALE LEMBRAR QUE David Neres participou efetivamente também de uma goleada do São Paulo contra o Corinthians no time profissional. Neste jogo que o Tricolor ganhou de 4 a 0, David fez um gol. RELEMBRE: