Cuca diz que Antony jogou debilitado

O treinador comentou sobre a postura do time na partida deste domingo e revelou que Antony, jogou debilitado desde o começo do clássico

Em entrevista após o clássico desta domingo, o técnico Cuca falou sobre o desempenho da equipe nos 90 minutos da final do Paulistão, e revelou que Antony, jogou debilitado. 

Veja a entrevista: 

ANTONY

“O Antony é um dos mais importantes, se não o mais importante, na criação, e ele não estava bem, estava com fraqueza. Estava na dúvida entre continuar ou tirar. Ele jogou debilitado, infelizmente. Ele foi abaixo da expectativa, mas normal. (…) É muito do jogador. Tem que ver a alimentação, o estresse, o emocional. Ele é um torcedor de arquibancada e estava no maior jogo da vida dele.”

RETRANCA DO RIVAL

“É a dificuldade que todo time tem quando pega uma defesa bem montada como a do Corinthians, principalmente fora de casa. Eles retrocedem bem e oferecem arremate de média distância, como tivemos com o Luan, o Hernanes, que passou muito perto, outras ocasiões que o Cássio defendeu. Foram jogadas em que poderia ter saído um gol. Não seria injusto se tivéssemos vencido. Em casa, o Corinthians tem tido uma postura diferente.” 

AUSÊNCIA DE LIZIERO

“Ele ontem (sábado), no treino, sentiu a lesão. Tenho 24 horas, tenho que esperar, não tem como fazer um exame. A gente esperou até o último momento, e pude trabalhar um pouco essa formação.”

ESQUEMA TÁTICO

“Muitos vão questionar por que entrei com o Everton e não o Hernanes. Ele não tem condição. Quarenta e cinco minutos seria o limite total, e seria até demais. Corremos esse risco. Quando coloco o Everton por dentro, fazendo uma linha de quatro com o Carneiro na frente, tenho velocidade em todos os lados. Isso joga o time pra frente. O Everton já fez assim com Cuellar e Everton Ribeiro no Flamengo. A ideia foi nisso. No pouquíssimo tempo para treinar, acho que fizeram uma boa partida, até 30, 35 do segundo tempo, quando escolhemos jogadas erradas e corremos risco. Antes, jogamos no campo do adversário e criamos chances.” 

POSTURA OFENSIVA

“Entramos com um centroavante de área, velocidade pelos lados e por dentro. Mais aberto que isso é impossível. Se fizer mais diferente, perde o jogo. Perdendo a bola, tentamos a roubada no campo de ataque, mas as equipes são iguais. Estamos atrás do Corinthians, em formação, descobrindo valores e perdendo Pablo, Liziero, o Hernanes até hoje. Estamos achando alternativas. Não é o ideal não ter feito gol nos últimos três jogos, mas é um processo natural. Não adianta sair como louco. Estamos buscando esse equilíbrio e falta a parte final. Isso vai requerer um tempo a mais.” 

JOGADORES MAIS EXPERIENTES

“Vou utilizar do mesmo jeito que utilizei hoje. Não abro mão da experiência. São estratégias que você usa. Não tendo condição pros 90 minutos, usa uma parte. Vamos ver a semana.”

PREPARAÇÃO PARA A FINAL

“É geral, a parte emocional, técnica, tática, escolher o time certo. Escolher o time certo é fácil: é só ganhar o jogo. Vamos trabalhar bem essa semana toda e ir para o grande jogo.”

LEIA MAIS:
+ Crônica da partida
+Lugano detona arbitragem após o clássico

Foto: Marcos Ribolli