Home > Destaques > Crônica – Atlético-MG x São Paulo

Crônica – Atlético-MG x São Paulo

Em uma partida horrenda, onde mais uma vez nosso treinador vacilou muito e o time não jogou nada, o São Paulo saiu derrotado em Minas

Passes errados, raras finalizações, desorganização, falta de vontade, erros defensivos, pênalti bobo, técnico perdido…esse foi o resumo da ridícula partida que o São Paulo apresentou nesta quarta-feira no Estádio Independência.

O nosso São Paulo agora precisa muito vencer o Atlético-PR no sábado (14), no Pacaembu.

Opinião:

Foram 10 dias treinando o time, que não poderia contar com Arboleda e Cueva. 10 dias preparando uma equipe que vinha de uma vitória (mesmo jogando mal) e estava com a auto-estima elevada. 10 dias para preparar um time que poderia bater de frente com o Galo, em Minas, mas não, foram 10 dias jogados fora, com uma escalação ruim e trocar piores ainda. A derrota desta quarta vai para a conta de Dorival Junior sim.

Time bagunçado, desorientado, desligado, sem vontade, morto em campo. O Atlético-MG por sua vez entrou no 220. brigando a cada bola, como se fosse uma final.

Tiveram duas boas chances de gol no primeiro tempo, onde Sidão nos salvou. No segundo tempo, Sidão de novo foi obrigado a fazer milagre em duas oportunidades e só não foi preciso na cobrança de pênalti, mesmo que tenha acertado o canto, mas Fábio Santos, campeão do mundo com o Tricolor em 2005, bateu com perfeição e anotou o único gol da partida.

Uma coisa é fato: a crise política interfere sim dentro de campo. A bagunça da nossa diretoria é enorme e isso afeta os atletas.

LEIA TAMBÉM:
+ Confia a ficha técnica e as estatísticas da partida 
+ Que nota você daria? Veja as atuações dos personagens são paulinos no jogo desta quarta


Veja aqui a crônica da partida:

PRIMEIRO TEMPO:
O Galo começou com tudo e pressionando o lado direito da nossa defesa, formado por Bruno Alves e Éder Militão. E foi justamente por ali que o Atlético criou sua primeira grande oportunidade de gol e Sidão apareceu pela primeira vez.

Aos 12 minutos, Robinho recebeu livre na esquerda e fez com que o goleiro tricolor fizesse uma bela defesa, no rebote,  Fred bateu desequilibrado e mandou para fora.

Três minutos depois, polêmica. Após cruzamento na área, Felipe Santana desviou com a perna e Sidão espalmou, o zagueiro atleticano finalizou novamente, mas Sidão defendeu mais uma vez. Os jogadores do time minero reclamam dizendo que a bola entrou no gol.

O jogo seguia e o domínio atleticano era tão grande que o São Paulo finalizou pela primeira vez  só aos 24 minutos, com Lucas Fernandes, em chute de fora da área, sem nenhum perigo.

Pouco depois, o time da casa desperdiçaria outra grande chance: Valdívia recebeu cruzamento nas costas de Militão, mas bateu de canela e a bola saiu sem direção.

O São Paulo continuava morto em campo e errando muitos passes, dessa forma, nenhum contra ataque foi bem executado, e o pior, deram espaço para o Atlético. Valdívia, aos 43 minutos, arriscar chute rasteiro de longe, exigindo mais uma intervenção de Sidão, que se esticou todo para salvar. No fim, o primeiro tempo terminou com um placar de 11 a 1 para o Atlético em finalizações.

SEGUNDO TEMPO

Nem mesmo o intervalo fez com que o São Paulo mudasse de postura.

A equipe Tricolor se manteve acuada no início da segunda etapa e foi punida por isso. Logo aos quatro minutos, Valdívia, em noite inspirada, recebeu lançamento que veio de um lateral (sim, tomamos um gol em uma jogada que começou com um lateral!!!), invadiu a área e foi derrubado por Bruno Alves, que viveu uma noite infeliz.

Na cobrança da penalidade, o tri campeão mundial com o SPFC, Fábio Santos bateu forte e rasteiro no canto direito. Sidão pulou no lado certo, mas não alcançou a bola. 1×0 Galo.

O gol fez o São Paulo, enfim, acordar no jogo. Aos 13 minutos, Júnior Tavares, que esteve muito mal em campo fez boa jogada individual na esquerda e cruzou na área. Lucas Pratto ganhou da marcação por cima e cabeceou, mas Victor estava bem posicionado e defendeu.

O bom momento do tricolor durou pouco. Aos 20 minutos Sidão voltou a trabalhar duro. Primeiro em pancada de Otero. Depois, em lance bem parecido com o do primeiro tempo, realizou uma série de duas defesas seguidas após cobrança de escanteio, tirando a bola em cima da linha de novo.

O técnico Dorival Júnior, então, tirou Hernanes (ninguém sabe o motivo) e Lucas Fernandes para as entradas de Shaylon (muito bem em campo) e Maicosuel, respectivamente.

Com a entrada de Shaylon o Tricolor melhorou. Aos 28 minutos, o garoto made In Cotia fez grande lançamento e achou Pratto sozinho na área. O camisa 9 testou para o chão, mas Victor caiu rapidamente para espalmar e garantir o triunfo atleticano.

Fim de jogo. Eles 1×0 SPFC.
Hoje temos que ficar atentos à rodada, para não voltar ao Z4.

FOTO: divulgação