in , ,

Ceni x Corinthians: momentos eternos do M1to contra eles

Ceni marcando o gol 100.

Quando defendia a meta do São Paulo, Rogério Ceni protagonizou diversos momentos históricos contra o Corinthians. Nesta segunda-feira, às 20h, o hoje treinador são-paulino venceu o rival pela primeira vez como técnico do Tricolor. Antes, haviam sido quatro jogos, com dois empates e duas derrotas.

A última memória de Ceni contra a equipe alvinegra é muito boa. Ainda no Flamengo, ele conseguiu levar sua equipe à vitória por 2 a 1 e deu um passo importante para assegurar o título do Brasileirão de 2020.

Como treinador, no entanto, a história nem sempre terminou com final feliz para Ceni. Na maioria dos jogos, Ceni levou a pior. Nas nove vezes em que enfrentou o Corinthians, o técnico venceu apenas esta no ano passado, empatou quatro e perdeu outras quatro – somando também as passagens por Fortaleza e São Paulo.

LEIA TAMBÉM:

A última derrota tricolor para o Corinthians no Morumbi foi sob o comando de Rogério Ceni. Em 2017, no jogo de ida das semifinais do Campeonato Paulista, a equipe alvinegra venceu por 2 a 0 e encaminhou a classificação para a final.

O jogo ficou marcado pelo lance de fair-play de Rodrigo Caio. Na ocasião, o corintiano Jô recebeu um cartão amarelo após o árbitro Luiz Flávio de Oliveira ter visto um pisão do atacante na mão do goleiro Renan Ribeiro. Rodrigo Caio, então, foi sincero e disse para a arbitragem que o pisão tinha sido dele próprio.

Desde esse confronto, são quatro vitórias e três empates para o Tricolor em seu estádio diante de um de seus maiores rivais.

Como jogador

Se o Corinthians traz poucas lembranças positivas para Rogério Ceni como treinador, o mesmo não se pode dizer do Ceni jogador.

Durante seus 25 anos de São Paulo, o ex-goleiro enfrentou o Timão em 67 partidas, com 21 vitórias, 21 empates e 25 derrotas. Apesar do número desfavorável, houve momentos históricos nessa relação.

Aquele que provavelmente é guardado com mais carinho por Rogério Ceni é o gol 100. O ídolo alcançou a marca em vitória por 2 a 1 sobre o Corinthians, no Paulistão de 2011, na Arena Barueri, em uma cobrança de falta.

A vitória naquele clássico encerrou um tabu de quatro anos do São Paulo sem vencer o Corinthians. Ou seja, o jogo do centésimo gol teve comemoração dupla da torcida tricolor.

Em 2005 o São Paulo do ex-goleiro havia aplicado um 5 a 1 no rival. A goleada marcou a queda do então técnico Daniel Passarella.

Antes de ser considerado um ídolo da torcida, Ceni conquistou um de seus primeiros títulos como titular justamente contra o Corinthians. Em 1998, o São Paulo foi campeão do Paulistão daquele ano após vitória por 3 a 1, gols marcados por Raí e França (duas vezes).

Ao todo, Ceni balançou as redes 131 vezes na careira, três delas diante do Corinthians. Confira a lista de gols:

  • São Paulo 2 x 1 Corinthians – Paulistão 2011 (gol de falta)
  • São Paulo 3 x 1 Corinthians – Paulistão 2007 (gol de pênalti)
  • Corinthians 1 x 5 São Paulo – Brasileirão 2005 (gol de pênalti)

Como treinador

Foi também no São Paulo, que o ex-goleiro iniciou a caminhada como treinador, em 2017. Na primeira passagem, sem muito sucesso, Ceni teve desempenho ruim contra o rival. Foram quatro partidas oficiais do técnico comandando o Tricolor Paulista, com dois empates e duas derrotas, um aproveitamento de 20%.

Trabalhando na beira do campo, no geral, Ceni ainda enfrentou o Timão em outras quatro oportunidades, por Fortaleza e Flamengo, outras equipes que defendeu, mas só venceu uma vez.

A única vitória de Rogério Ceni sobre o Corinthians, como técnico, foi pelo Flamengo, na 36ª rodada do Brasileirão 202

CENI TREINADOR VS CORINTHIANS:

  • São Paulo 1 x 1 Corinthians – Paulistão 2017
  • São Paulo 0 x 2 Corinthians – Paulistão 2017
  • Corinthians 1 x 1 São Paulo – Paulistão 2017
  • Corinthians 3 x 2 São Paulo – Brasileirão 2017
  • Fortaleza 1 x 3 Corinthians – Brasileirão 2019
  • Corinthians 3 x 2 Fortaleza – Brasileirão 2019
  • Corinthians 1 x 1 Fortaleza – Brasileirão 2020
  • Flamengo 2 x 1 Corinthians – Brasileirão 2020

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara