Home > Base Dourada > Capitão do Tri da Copa RS, defensor festeja e analisa conquista

Capitão do Tri da Copa RS, defensor festeja e analisa conquista

Líder, dentro e fora de campo, o zagueiro Rodrigo festejou a conquista do Tricolor e falou sobre a Copinha do próximo ano

Pela Copa RS, o camisa 4 fez um gol de pênalti, que decretou a vitória contra o Internacional, deu uma bela assistência para Tuta marcar seu gol na grande final diante das Peppas e ainda levantou a taça em Porto Alegre.

“Estou vivendo um momento único na minha vida, muito feliz, e tenho que aproveitar cada oportunidade, desempenhando um bom futebol. Venho crescendo junto da equipe. Todos me ajudam para que eu consiga exercer uma liderança dentro e fora de campo. Com a confiança depositada pelo técnico Jardine, ele me deixa seguro para desempenhar um melhor futebol”, disse o jovem.

Rodrigo contou da experiência de ter jogado contra times internacionais (os argentinos, Lanús, Argentino Jrs e Huracán), que criaram dificuldades e jogavam de forma diferente dos brasileiros, times que o Tricolor já havia enfrentado em 2017.

“Os argentinos têm muita garra, dedicação, provocam e fazem muitas divididas. Tem todos esses aspectos que tornam o jogo mais difícil e provatório, tendo que conquistar equilíbrio emocional e bom desempenho individualmente para resultar numa conquista conjunta. Passamos por essas etapas de forma muito madura, absorvemos muito aprendizado do treinador e desempenhamos um bom futebol para sair com o tricampeonato”, avaliou.

Sobre a incrível final, onde o Tricolor fez o gol da vitória aos 48 minutos do segundo tempo, o zagueiro analisou o grande jogo.

“Foi um jogo muito competitivo, duas equipes de grande porte. Sendo um clássico, uma final, estávamos muito dispostos a dar o sangue até o último minuto, superando adversidades. Foi um jogo lá e cá, mas conseguimos sair com o título, que era nosso objetivo”, contou.

Confiante, o zagueiro já projeta o primeiro torneio de 2018, a Copa São Paulo, com o Tricolor buscando o título, feito que não acontece desde 2010, quando bateu o Santos, nos pênaltis, no Pacaembu. Em 2018, o Tricolor inicia a caminhada no dia 3 de janeiro, em Ribeirão Preto, sede do time de Cotia.

“Já tem muito tempo sem o São Paulo chegar à fim da Copinha. Com dedicação e muito trabalho queremos dar esse título para o torcedor. Mostrar toda condição que os jogadores do São Paulo têm e que podem chegar ao profissional a qualquer momento. Queremos chegar ainda mais forte, mostrar quanto prata da casa é bem formado em Cotia”, finalizou.

FOTO: Everton Silveira