in

Ataíde Gil Guerreiro abandona projeto por técnico europeu

Vice-presidente são-paulino insistiu na ideia que desejava a permanência de Muricy

A tarde de hoje foi de definições no tricolor. Após o anúncio da já esperada saída de Muricy Ramalho do comando técnico, o vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro concedeu entrevista coletiva no CCT da Barra Funda.

Logo de cara, Ataíde tentou deixar claro que a demissão foi algo decidido somente na tarde dessa segunda-feira e que pesou bastante o testemunho de Muricy referente a seus problemas de saúde:

“Hoje, logo após o almoço, o Aidar e eu tivemos uma longa reunião com o Muricy. Eu queria de toda maneira que ele continuasse conosco. Ele estava fazendo um bom trabalho, era bom pra nós, mas ele colocou pra nós essa situação. A gente sentia que ele estava debilitado. Ele não pediu demissão ontem. Ficamos vendo isso na internet e não aconteceu nada. Hoje combinamos uma reunião e ficou decidido agora a tarde. Foi isso que aconteceu.”

+ Tricolor pode cobrar dinheiro do maior rival

O dirigente também comentou que, com o cenário atual, fica inviável a implantação de sua ideia em trazer um técnico europeu para ser o novo comandante da equipe:

“Meu projeto foi abandonado, porque um técnico de ponta vai querer pelo menos um ano de contrato. Eu ficaria com o Muricy e depois traria um europeu. Infelizmente, agora não há possibilidade de segurar até dezembro e continuar meu projeto.”

Gil Guerreiro foi questionando sobre a possível vinda de Leonardo, ex-jogador e com identificação com o clube, o qual foi descartado. Até a vinda do próximo treinador, Milton Cruz será efetivado:

“Já temos um perfil, temos duas ou três opções. Temos o perfil principal, pode ser que a gente traga e outra opção.  Nós efetivamos o Milton por três, quatro jogos. Assim que o novo treinador chegar, ele volta as suas funções.”

Seja lá como ou quem for, o que realmente interessa a nós, torcedores, é ver a equipe jogando um futebol condizente as nossas tradições e com jogadores demonstrando o mesmo empenho que um fanático torcedor são-paulino teria ao entrar no gramado envergando nosso manto.

O que achou?