Apresentação Vitor Bueno

Em coletiva de imprensa, Raí e Alexandre Pássaro apresentam o jogador à imprensa e torcedores; Leco também está no CT

Vitor Bueno é o terceiro reforço do São Paulo contratado após o clube fechar com Cuca. Alexandre Pato e Tchê Tchê foram acertados anteriormente. ao todo, o São Paulo contratou 10 jogadores para esta temporada. Finalista do Paulistão, o Tricolor irá forte em busca do título inédito da Copa do Brasil e quer o hepta brasileiro.

O Diretor de futebol Raí começou a apresentação do jogador dando as boas-vindas:

“Dou as boas vindas ao Vitor Bueno, chega motivado. Deixa a gente contente. Mais um jogador que vai valorizar nosso elenco, pelo talento e o que mostrou e vai mostrar. Jogador de 24 anos. Vai qualificar nosso elenco para as próximas temporadas. Da última vez falamos que a negociação estava muito difícil de concretizar, mas nosso gerente Pássaro conseguiu viabilizar em poucas horas. Por isso, está aqui para falar sobre os últimos momentos de como foi trazer o Vitor Bueno”.

Em seguida, foi a vez do diretor executivo Alexandre pássaro falar sobre a contratação do jogador:

“Tinham poucas horas para concluir, mas conseguimos fazer não mais um re-empréstimo do Dínamo, mas sim empréstimo do Santos ao São Paulo. Embora tivesse pouco tempo disponível, a negociação começou em fevereiro. Contou muito com a ajuda do Vitor e ficamos muito felizes e gratos por isso. Ele veio ao Brasil antes de fechar a janela para ajudar e estamos muito felizes que deu certo”.

Após os diretores, começou a entrevista com o jogador.

Sua vinda ao São Paulo é um recomeço na carreira:

“Sim, pode ser que seja um recomeço e uma oportunidade muito boa. Não é qualquer dia que o São Paulo te liga, um time tão grande. Ano de 2016 foi muito bom, antes de machucar também era artilheiro, infelizmente acabei machucando. Fui para Ucrânia, joguei pouco e apareceu a oportunidade do São Paulo. Não pensei duas vezes. Ninguém desaprende a jogar bola. Tenho certeza que será um ciclo vitorioso”.

Qual será seu posicionamento em campo com Cuca? Aberto ou centralizado?

“Não tive essa conversa com ele. Quando ele assumiu no Santos tinha acabado de ir pra Ucrânia. Ele pediu meu retorno e não deu certo. Ele gosta e confia em mim. Pode me usar aberto ou no meio. Era armador. Dorival me usou aberto. Estou apto a fazer as duas funções”.

Como foi sua passagem na Ucrânia?

“Encaro como aprendizado. Joguei muito pouco, não por falta de treino ou vontade. Ia bem nos treinos e fazia gols nos amistosos. Opção do treinador. Não só eu, como outros brasileiros tinham dificuldade de jogar lá. Nesse tempo todo procurei adquirir força com meus familiares e amigos. Era longe, não era fácil. Sabia que alguma hora ia acontecer de um clube me querer. Vim para o São Paulo e estou preparado”.

Está pronto para jogar?

“Estava treinando. Estou bem, treinei ontem e agora. Está tudo certo. Só parei nesses dias da negociação”.

Se a final fosse com o Santos, irá dividir a torcida?

“Não, sou jogador do São Paulo. Se fosse o ex-time ou não a minha torcida é o São Paulo. Aconteceu que é o Corinthians, torcida para ser campeão”.

Acompanhou fase do São Paulo?

“Sim, acompanhei desde o início. Sempre prevaleceu minha vontade. Queria voltar. Não é qualquer dia que o São Paulo te liga. Minha vontade prevaleceu”.

Logo, Vitor Bueno elogiou a diretoria e o elenco Tricolor.

“Dar os parabéns para diretoria pelos reforços, só qualificou mais o elenco. Só tem a ganhar o São Paulo. Cuca mostrou isso. Dá rodagem ao elenco. Tenho certeza que vai fazer um trabalho muito bom. Pelo projeto, treinador me ligou, vontade de trabalhar com elenco forte. vim para ajudar o são Paulo e ganhar título. Estava algum tempo sem jogar”, diz Bueno. 

Por que não rendeu bem no Santos como meia?

“Não joguei como meia, cheguei como meia, quem jogava era o Lucas Lima. As vezes trocava, mas não jogava como meia armador. Com o Jair em 2018 fiz três jogos”.

Irá acompanhar as finais do Paulistão?

“Estou junto da equipe. Vou ao estádio acompanhar as finais. Peguei um clima muito bom, alegre, e quero transmitir a minha energia positiva”.

Quando você fez o primeiro gol como profissional pelo Botafogo-SP foi contra o São Paulo. Imagina quatro anos depois vestir essa camisa?

“Momento especial. Claro que não imaginava. Sonhava com isso. Quem não sonha em jogar em um clube tão grande como São Paulo? Ganhamos, classificamos e espero agora fazer gol favor”.

 


PÁSSARO:

O gerente executivo Alexandre Pássaro foi questionado se o São Paulo teria alguma opção de compra.

“Herdamos a mesma opção de compra do Santos. Herdamos isso por 21 meses sem ter prejuízo e eventualmente conversar sobre uma outra opção, que não a estipulada”, disse Pássaro.

Tem alguma cláusula que o São Paulo terá de liberar o jogador antes do fim do contrato?

“Não tem cláusula de saída. A decisão é nossa. Está emprestado por 21 meses, Vitor está inclusive liberado para jogar contra o Santos”.


RAÍ:

O São Paulo continua atrás de reforços?

“Como disse no dia da apresentação do Tchê Tchê: o Vitor interessava, estávamos em negociação com o Vitor. Agora não existe nada em negociação, tem um período de preparação para o Brasileiro. Nenhum jogador em vista. Nada por enquanto”, diz o dirigente.

Como foi o título Paulista de 98, quando chegou para jogar a segunda final?

“Em 1998 foi uma situação bem atípica. Cheguei para o último jogo. O Corinthians tinha vencido o primeiro jogo, então era o favorito. O São Paulo agora vem de uma recuperação. O Corinthians, apesar da classificação difícil contra o Santos, está jogando há mais tempo, tem um treinador que conhece o elenco. O São Paulo tem a sua chance, mas sabe que vai ter muita dificuldade, como teve naquele momento. Espero que surpreenda novamente e consiga ganhar o título”.

FIM DA APRESENTAÇÃO DE VITOR BUENO.

FOTO: Reprodução TV