in

Análise Tricolor: Mobilidade e precisão, porém…

Volta de Ganso e entrada de Pato deram a movimentação necessária ao tricolor, mas zaga ainda assusta

A escalação inicial pode ter feito com que alguns são-paulinos estranhassem e até não gostassem a introdução de Alexandre Pato entre os 11 titulares, seja pelo fato do atacante não estar entre as opções preferidas ou porque Luis Fabiano vive em estado de graça com as redes. Porém, a entrada de Pato aliada a volta do “Google” Ganso foram essenciais para o triunfo diante do Capivariano.

Evidente que tínhamos por obrigação vencer e bem o adversário, mas mesmo assim é de se exaltar a postura técnica e porque não tática do plano ofensivo do São Paulo. Troca de passes envolvente, nosso camisa 10 fazendo com maestria a sua função, Bastos e Reinaldo fazendo uma boa dupla a frente e, o mais importante, um ataque participativo.

+ Estreia de Kaká no Orlando City

A presença de Luis Fabiano é importante, porém inibe consideravelmente a movimentação. Alan Kardec se vê obrigado a sair de suas origens e acaba fazendo um papel que, mesmo sabendo, não faz tão bem: O trabalho de segundo atacante. É totalmente diferente contar com um jogador alto que toque e prossiga a jogada do que um atleta rápido por natureza e apto fisicamente para desempenhar a função como é Alexandre Pato.

O que ainda nos preocupa é realmente o outro lado da moeda, ou seja, o plano defensivo do tricolor. Bastou nos 45 minutos finais o time do interior deixar de se postar inteiramente na defesa que tivemos sérias dificuldades em conter a apenas modesta artilharia do Capivariano. Um time que almeja voos altos em torneios como a Libertadores não se pode dar esse luxo.

Rafael Toloi infelizmente ainda não achou seu companheiro, já que Lucão, Edson Silva e até mesmo Antonio Carlos, em outros tempos titular absoluto, não conseguem passar 90 minutos com regularidade, assim como apenas Souza pode ser considerado “indispensável” no meio-campo. Falhas bobas com e sem a posse de bola comprometem o time agora e podem tranquilamente comprometer em duelos decisivos, contra equipes mais fortes.

É necessário um sério trabalho de Muricy Ramalho desde a questão de recomposição na marcação até achar peças dentro do próprio elenco que tranquilizem ambos os setores.

O saldo final de hoje é positivo, mas o alerta está ligado.

Confira os melhores momentos da goleada são-paulina:

O que achou?