Home > Destaques > Aguirre: “Sinto que o time pode dar muito mais”

Aguirre: “Sinto que o time pode dar muito mais”

Em coletiva Diego Aguirre admite está decepcionado com a postura de alguns atletas. Mas condiciona a falta de intensidade do time ao clima

Diante do Ceará, no último domingo (22), o São Paulo teve dificuldades na criação de jogadas ofensivas. Nos últimos minutos da partida elas vieram acontecer e foram paradas pelo goleiro do rival. O empate sem gols, frustrou os planos da equipe Tricolor.

Nesta segunda rodada, o técnico Aguirre apostou em uma nova formação ofensiva com Tréllez de centroavante, com Cueva aberto pela direita e Everton pela ponta esquerda. E como o peruano não ajudava na marcação foi logo deslocado para o centro, ainda no primeiro tempo, sacrificando Tréllez. E no segundo tempo, voltou sem centroavante, mas com Nene e Régis para ajudar Everton, que logo depois precisou sair para a entrada de Valdívia.

As tentativas do comandante Tricolor não surtiram efeitos importantes. E na entrevista pós jogo, Diego Aguirre admitiu que ficou decepcionado com a postura dos seus jogadores nesta partida.

“Especialmente eu esperava outra agressividade no ataque, outra intensidade para atacar, porque não é somente para defender (que tem de ter intensidade). Mas não construímos um jogo como imaginávamos, e temos bons jogadores em campo. Cueva com Nene, sem centroavante, junto com Valdívia. Everton, com Régis aparecendo pela direita. A intenção é sempre ganhar o jogo, não estou contente por um empate, porque viemos aqui para ganhar. Empate fora é sempre importante, mas sinto que o time pode dar muito mais”, avaliou Aguirre.

LEIA MAIS
+ Adidas e São Paulo conversam sobre adiantamento financeiro
+ Crônica – Ceará 0 x 0 São Paulo

O técnico uruguaio do Tricolor associou a falta de intensidade da equipe neste jogo, a temperatura da cidade. Pois segundo o climatempo, o confronto deste domingo ocorreu sob uma temperatura girando entre os 27°C e 29°C. Com uma umidade entre 78% e 82%, muito diferente do que a equipe são-paulina está habituada a jogar.

“Aqui, o calor, clima de jogo, por minha experiência, sempre que a gente joga no Nordeste às 16h, os jogadores acabam sofrendo muito, vínhamos de uma sequência três jogos seguidos… Não é uma desculpa, é uma realidade, tenho certeza que isso influenciou para o time não ter essa intensidade dos últimos jogos”, ponderou o técnico, em discurso compartilhado por Nene.

“A umidade realmente é muito forte, erramos os passes que precisávamos acertar. Infelizmente não conseguimos ganhar, mas o ponto é válido fora de casa” finalizou.

Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net