in

Abílio Diniz manda uma carta aberta à Ceni

Abaixo segue a carta aberta onde o empresário, esportista e são-paulino Abílio Diniz fala ao goleiro Rogério Ceni que sabe o que é preciso para Ceni seguir no clube. Que requer muito esforço e dedicação para jogar futebol, não apenas de maneira competitiva, mas de altíssimo nível como, segundo Diniz, Ceni sempre jogou no São Paulo.

Sensata e animadora, a carta fala sobre a vida do empresário, com os altos e baixos e faz uma analogia à carreira do M1to.

Leia na íntegra a carta:

Rogério, como são-paulino e admirador do seu futebol e de sua vida profissional correta e competente, gostaria de dar uma palavra sobre sua eventual aposentadoria dos gramados.

Você é quem decide quando vai parar, claro. Essa decisão é única e exclusivamente sua, levando em consideração tudo aquilo que está em sua volta e dentro de você – a sua família, a sua vontade de continuar jogando futebol, de enfrentar concentrações, treinos, derrotas e vitórias.

Eu sei que é preciso muito esforço e dedicação para jogar um futebol não apenas competitivo, mas de altíssimo nível como você sempre jogou no São Paulo.

Por tudo isso, essa decisão é só sua. Não adianta ninguém querer influenciar e muito menos decidir por você. Nem mídia, nem clube e muito menos eu. Mas a mensagem que eu queria levar a você neste momento é uma palavra de alguém que acredita que idade não é limite para nada.

Sobre isso eu posso falar de experiência própria. Aos 68 anos, eu casei com a Geyze, muitos anos mais nova que eu, com quem tive mais dois filhos que me fazem rejuvenescer a cada dia. E quando todo mundo imaginava que ao sair do Pão de Açúcar encerraria minhas atividades empresariais, encontrei na BRF todos os motivos do mundo para seguir contribuindo de forma transformadora na vida de uma grande empresa. Isso me dá enorme satisfação e força.

Seja qual for a sua decisão, contará com o apoio e a admiração deste e de outros milhões de são-paulinos que aprenderam nesses anos todos a confiar em você Abilio Diniz, presidente do conselho de administração da BRF, sobre a possível aposentadoria de Rogério Ceni

E se na área profissional encontrei onde aplicar todo o conhecimento que a vida me deu e aprender muito mais, sigo na área esportiva me exercitando em alto nível e evoluindo como atleta. Corro, nado, jogo squash, faço boxe, tudo aquilo que todo mundo diz que não é para a minha idade.

Faço tudo isso com alegria e com satisfação, claro que me preparo e me cuido. Claro que pouco a pouco os músculos vão perdendo a força, as articulações vão ficando mais duras. Mas existem maneiras e técnicas de interferir nesse quadro, para ao menos impedir que eles barrem você de fazer aquilo que gosta.

Digo isso a você porque acredito firmemente que a vida tem que ser vivida com alegria. Enquanto você tiver alegria, a idade não importa. Acredito que a pessoa para ser velha tem que ter idade, mas para ser jovem qualquer idade serve.

As opções que fiz foram contrárias ao senso comum de que é necessário levar uma vida adequada à idade que se tem e que desconsiderar os anos é imprudente. Ou que uma pessoa sábia é aquela que sabe se retirar no momento adequado e abre espaço para quem tem menos idade e mais forças para tocar as coisas. Eu não fiz isso, e me sinto extremamente recompensado.

É essa reflexão que queria deixar na sua cabeça, caro Rogério. Você nunca foi um goleiro comum. É o goleiro artilheiro, o goleiro líder, que não foi para a Europa enriquecer de clube em clube e preferiu se dedicar ao nosso São Paulo com muito amor, esforço e alegria.

A decisão sobre o seu futuro, sobre a sua vida, só pertence a você. O que posso dizer, tendo vivido um pouco mais, é que o verdadeiro sucesso da vida é a felicidade. Neste momento tão importante, reflita sobre o que lhe tornará uma pessoa mais feliz e saiba que a idade é o menor dos obstáculos.

Saiba também que, seja qual for a sua decisão, contará com o apoio e a admiração deste e de outros milhões de são-paulinos que aprenderam nesses anos todos a confiar em você.

Abilio Diniz

77 anos, é presidente do conselho de administração da BRF

Foto: Site SPFC.net

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara