in , , ,

A TRAJETÓRIA AO TRICAMPEONATO!

Confira a trajetória ao Tricampeonato da Libertadores em todos os jogos do Tricolor:

PRIMEIRA FASE

1º Partida: 03/03/2005 – SPFC 3 x 2 THE STRONGEST (BOL) – Estádio: HERNANDO SILES

 Um jogo muitas defesas do M1TO e muitas chances desperdiçadas. Com 3×3 para ambas as partes, foi um jogo muito disputado. Com gols de Grafite, Danilo e Luizão.

https://www.youtube.com/watch?v=KZ_54U09ZCc

 

2º Partida: 09/03/2005 – SPFC 4 x 2 UNIVERSIDAD CHILE (CHIL) – MORUMBI
Jogo emocionante do começo ao fim. Com erros de Ed Carlos, porém o SPFC conseguiu reverter e vencer por 4. Com gols de Lugano, Rogério Ceni, Grafiti e Cicinho. O time foi raça, e não desistiu, e lutou até o final.

https://www.youtube.com/watch?v=aUgUAlnr1-4

3º Partida: 16/03/2005 – SPFC 2 x 2 QUILMES (ARG) – CENTENÁRIO

 Com 14 jogos sem perder, pro SPFC não foi tão difícil de manter um placar razoável. Jogo daquela rivalidade entre Brasil e Argentina. Jogo onde
empatamos de virada. Com gols de Diego Tardelli e Grafite.

https://www.youtube.com/watch?v=3pgxs8GYcxo

4º Partida: 13/04/2005 – SPFC 3 x 1 QUILMES (ARG) – MORUMBI 
Um jogo de polêmico entre racismo e rivalidade. Com lindos gols de Diego, o SPFC manteve a boa fase em jogo. Mas nem tudo foi tão bom assim,
Desábato provoca Grafite com palavreado de racismo, ambos tomaram cartão vermelho. No mesmo jogo Desábato foi levado á delegacia onde teve que prestar depoimento sobre o assunto. Com gols de Diego Tardelli (2) e Cicinho.

https://www.youtube.com/watch?v=9dnZyttlzQM

 

5º Partida: 21/04/2005 – SPFC 1 x 1 UNIVERSIDAD CHILE – ESTADIO NACIONAL SANTIAGO-CHILE
Gols perdidos e jogo bem movimentado. Mineiro que foi destaque, teve um bom desempenho, com seus passos destruidores. Com gol de Luizão.

https://www.youtube.com/watch?v=AlfvCbgIrTw

6º Partida: 11/05/2005 – SPFC 3 x 0 THE STRONGEST (BOL) – MORUMBI

Com 25 mil torcedores, onde o Rogério bateu o novo recorde de 600 jogos com a camisa do São Paulo. Com o apoio da torcida em casa cheia o SPFC não demorou muito, pra derrotar o rival da Bolívia. Com gols de Luizão, Edcarlos e Grafite.

https://www.youtube.com/watch?v=oLtBfNW88dQ

OITAVAS DE FINAL

O São Paulo chegava as oitavas de final, após fechar a fase de grupos com 12 pontos na liderança do grupo 3 (O número do grupo já estava predestinado ao futuro Tricolor…)

O adversário era um rival, os alviverdes rebaixados disputariam as oitavas de final contra o embalado Tricolor! O primeiro jogo seria realizado no Palestra Itália e o segundo no Gigante Morumbi!

JOGO DE IDA – SEP 0 X 1 SÃO PAULO – PALESTRA ITÁLIA

O clássico tinha uma importância maior, era a primeira vez que os times se enfrentavam em uma disputa de Libertadores, mas o São Paulo vinha de um bom momento e além disso tinha conquistado o Paulistão anteriormente e marcava o início da era Paulo Autuori no São Paulo.

O início do jogo foi muito equilibrado, chances para os dois lados. Rogério Ceni fez boa defesa em chute rasteiro de Marcinho, do outro lado Marcos fez boa defesa no chute de grafite. Muitos encontrões entre os jogadores que não tiravam o pé da jogada. Lugano por exemplo, deu uma cotovelada em Washington que teve que enfaixar a cabeça e até tomar ponto! Era a raça Tricolor!

Até que no segundo tempo, surgiu o gol Tricolor, e um golaço! Cicinho carregou a bola pelo meio, e de longe… fora da grande área de perna direita o lateral acertou um chute colocado no ângulo esquerdo do goleiro Marcos, indefensável! O Tricolor abria o placar em pleno chiqueirinho…

O segundo tempo ainda teve mais emoção, os mandantes ainda acertaram o travessão de Ceni, mas não empatariam o jogo. Final das contas 1×0 fora de casa e resultado positivo para o Morumbi!

https://www.youtube.com/watch?v=o7o1QFzy4HU

JOGO DE VOLTA – SÃO PAULO 2 X 0 SEP – MORUMBI

R.CENI - SPFC

O Tricolor tinha a vantagem, um ótimo time e um estádio cheio! Todos os ingredientes para carimbar seu lugar nas quartas de final da Libertadores!

Até o final do primeiro tempo o jogo se mostrou equilibrado entre as equipes, com chances para ambos os lados.

Já na segunda etapa, no primeiro minuto de jogo Luizão recebe a bola e toca para Josué que ia entrando na área do time adversário em velocidade mas é derrubado. E lá vem Rogério Ceni… mas desta vez o goleiro chutou a bola na barreira. O camisa 1 ainda balançaria as redes nesse jogo!

Aos 9 minutos Juninho Paulista recebe a bola sozinho em troca de passes em direção à meta Tricolor, mas Josué segura o meia adversário e leva o segundo cartão amarelo e é expulso de jogo. A cobrança, assim como foi a de Rogério também esbarra na barreira.

Aos 13 minutos, outra chance para o São Paulo! Danilo arma a jogada pelo meio e toca para Júnior que corria pela ponta esquerda que recebe e bate cruzado, a bola passa zunindo a trave esquerda do goleiro Marcos.

O Tricolor atacava, mas ainda não havia aberto o placar na partida.

Aos 28 minutos, Juninho Paulista recebe a bola dentro da área e chuta para a defesa segura de Rogério mais uma vez!

Aos 34 minutos Júnior (pela direita!) inicia contra-ataque rápido em um 2 contra 2 com a zaga dos visitantes, e com muita inteligência lança Diego Tardelli que ganha tempo em cima do zagueiro, dominando a bola o atacante entra na área e dribla o defensor que cai e põe a mão na bola – PENALTI! O Morumbi explode!

Lá vem ele… caminhando, concentrado em direção ao gol como sempre, toma a bola, ajeita, põe as mãos a cintura e quando autorizado chuta forte no meio do gol, a bola sai um pouco para a sua direita ainda, mas sem chances para Marcos (um dos goleiros mais vazados pelo M1TO!) – É GOL! O SÃO PAULO ABRE 2 GOLS DE VANTAGEM!

Este foi apenas o segundo gol do M1TO na Libertadores de 2005! Daí em diante, foi festa da Torcida e do time em campo! Ao som de “Olé” e apoio a equipe em campo o São Paulo já pensava nas Quartas de final, mas ainda não tinha acabado a história desse jogo.

O árbitro decretou 4 minutos de acréscimo, até que aos 48 minutos do segundo tempo,e o Tricolor sofre falta na meia esquerda, próximo a grande área! Sim, novamente Cicinho! O lateral bate rasteira no canto esquerdo do goleiro que se estica, mas vê a bola passar entre seus dedos e morrer no fundo do gol! 2 X 0 Final de jogo! ( 3 x 0 no placar agregado) – São Paulo nas quartas de finais!

https://www.youtube.com/watch?v=0MMsmq8bHCA

QUARTAS DE FINAL

JOGO DE IDA – SÃO PAULO 4 X 0 TIGRES-MEX – MORUMBI

O São Paulo recebia o Tigres do México, ainda que desconhecido no Brasil, o time mexicano tinha vencido o Once Caldas – atual campeão da Libertadores e o carrasco Tricolor no ano anterior. A torcida lotou mais uma vez o estádio e logo aos 28 minutos do primeiro tempo, Grafite sofre falta em uma posição que na verdade não era nem tão próximo a grande área (27 m), mas imediatamente a torcida chamou ele – Rogério Ceni e ele deixava o gol para abrir o placar. Ajeitou a bola e de perna direita e com uma qualidade inacreditável colocou a bola no ângulo esquerdo do goleiro mexicano! UM GOLAÇO! O Morumbi explodia de emoção e alegria – São Paulo 1×0!

O Tricolor era muito superior e aos 39 minutos Grafite começou a jogada pelo meio e tocou para Cicinho que entrava correndo na grande área e o camisa 2 só teve o trabalho de tocar para Luizão – livre de marcação, empurrar pro fundo do gol – São Paulo 2 x 0! O São Paulo finalizava o primeiro tempo com uma ótima vantagem.

No início do segundo tempo o Tricolor não deu trégua e continuou pressionando o time mexicano, e logo aos 10 minutos Luizão ganha disputa de bola no ataque e ficaria cara a cara com o goleiro, mas foi puxado e sofreu falta. Novamente, o Morumbi ensurdecedor pedia ele, o M1TO estava inspirado como nunca em cobranças de falta! Desta vez, o camisa 1 com extrema categoria bateu alto no canto do goleiro que esperava o cometa Halley, mas não esperava que Rogério cobrasse a falta no seu próprio canto, o goleiro ainda saltou, mas não foi o bastante! Rogério Ceni marcava seu segundo gol no jogo e comemorou muito junto a torcida Tricolor que presenciava uma noite inesquecível no Morumbi! São Paulo 3 x 0!

O São Paulo era uma máquina de habilidade e raça! Aos 15 minutos, logo após a cobrança de falta de Rogério, Lugano de trás do meio de campo fez um lançamento perfeito para Souza que matou a bola no peito ainda em velocidade, o meia carregou a bola até o gol e bateu cruzado, virou goleada! – São Paulo 4 x 0 e o Morumbi já pensava na semi final!

Neste jogo ainda ocorreria algo inédito, aos 23 minutos o São Paulo tem um penalti a favor, e parece realmente que Rogério seria o artilheiro da Libertadores só naquela noite. O recorde poderia ser batido – Rogério Ceni nunca marcou 3 gols em um único jogo – e aí estava a oportunidade. O goleiro cruzou pela terceira vez o campo, entretanto desta vez o goleiro desperdiçou a penalidade chutando para fora, parece que ele queria mesmo era do jeito difícil, ele queria fazer o hat-trick, mas dessa vez não balançou as redes, o que certamente não apagou o brilho incontestável da sua atuação naquela noite de Morumbi lotado! E foi assim, SPFC 4 X 0 Tigres! Uma ótima vantagem para o Tricolor levar para o México.

JOGO DE VOLTA – TIGRES-MEX 2 X 1 SÃO PAULO – ESTÁDIO UNIVERSITÁRIO

SPFC X TIGRES

O São Paulo chegou ao México com uma ótima vantagem, os 4 gols de diferença praticamente já colocaram o Tricolor garantido na semi-final, mas ainda tinha um jogo e fora de casa contra os mexicanos.

Todos nós sabemos que enfrentar um time mexicano inclui dois desafios, o jogo e a viagem até o México. Os times mexicanos são convidados pela Conmebol para a disputa da Libertadores, entretanto se torna o país mais longínquo para os sul americanos.

Bom, o São Paulo começou jogando atrás mesmo com a boa vantagem, já os mexicanos não eram bons ofensivamente e o primeiro tempo terminou sem gols. Na segunda etapa, o Tricolor já estava com um pé na semi-final, até que aos 16 minutos do segundo tempo, em bola cruzada a zaga Tricolor parou e o atacante Silveira do Tigres encheu o pé para abrir o placar. O Tigres saia na frente, mas perdia por 4×1 no placar agregado.

Aos 29 minutos do segundo tempo, em uma jogada muito parecida pela esquerda o Tigres que cruzou para Silveira novamente ampliar o placar, sem chances para a zaga Tricolor que apenas acompanhou o camisa 22.

O placar de 2 x 0 começava a preocupar o Tricolor, os mexicanos ainda reclamaram de um toque de mão de Lugano na grande área, mas o árbitro mandou seguir.

O Tricolor teve sua primeira chance após Danilo tomar a bola no ataque e tocar para Roger que chutou para fora, ao lado direito do goleiro mexicano.

O gol Tricolor saiu em uma jogada de raça, o atacante Roger tentou se livrar da marcação, mas perdeu a bola e o volante Josué se apresentou rapidamente para tocar para a arrancada de Danilo pela esquerda deixando a zaga para trás e viu Souza na ponta direita sozinho, então o camisa 10 lançou o camisa 21 e Souza tocou para o fundo do gol! Era o gol que confirmava mais ainda a classificação para a semi-final! No final do jogo Júnior ainda arriscou um chute rasteiro cruzado, mas o goleiro foi bem e espalmou para escanteio. São Paulo na semi-final!

SEMI-FINAL

JOGO DE IDA – SÃO PAULO 2 X 0 RIVER PLATE-ARG – MORUMBI

O Morumbi estava lotado, não havia espaço para mais ninguém, o adversário era um argentino de tradição na Libertadores, São Paulo e River Plate era esperança de um jogo muito pegado, de muita raça e bom futebol em campo e foi assim que aconteceu!

O São Paulo contava com a estreia de um reforço na competição, o atacante Amoroso era o novo dono da camisa 9 e fazia companhia com Luizão no ataque São-paulino!

O jogo começou muito disputado, e somente aos 38 minutos do primeiro tempo o São Paulo teve sua primeira chance, justamente com Amoroso que em uma bela arrancada, após a roubada de bola de Mineiro, deixou um defensor na saudade, e continuo correndo em direção ao gol e com muita persistência ainda conseguiu dar um drible da vaca no zagueiro argentino e bater para o gol com muita dificuldade devido estar sem ângulo e a defesa em cima do atacante, mas o goleiro Constanzo defendeu o chute do camisa 9.

Em um jogo entre Brasil e Argentina quem mais bateu foi o gigante Lugano, incrível a raça do uruguaio que entrou com os dois pés no jogador do River e recebeu apenas um amarelo, a torcida aplaudiu como nunca o zagueiro após aquela falta dura é verdade, mas com muita raça.

Aos 30 minutos do segundo tempo, o jogo se encontrava travado no meio de campo, ninguém tirava o pé da bola, até que Danilo arriscou boa jogada pela esquerda e chutou para a defesa do goleiro argentino que largou a bola que ia saindo para a linha de fundo, quando Souza apareceu e chutou em cima da linha ao lado de fora da trave, mas a bola acertou o poste esquerdo de Constanzo, totalmente sem ângulo o camisa 21.

No minuto seguinte, escanteio… Renan joga na área e a zaga afasta para trás nos pés de Danilo que no bico na grande área pelo lado esquerdo do campo acertou um chute precisou que quicou no gramado antes de passar pelo goleiro argentino e morrer no fundo do gol, não haveria outro caminho para a bola chegar ao gol, chute preciso! O Morumbi quase foi ao solo, a torcida soltou o grito de gol da garganta era uma festa total nas arquibancadas!

Tudo parecia que o jogo se encaminhava para o 1 x 0, apesar da pressão Tricolor, mas aos 42 minutos Luizão deu um drible da vaca no zagueiro Tuzzio do River na grande área e cruzou para Amoroso, até que o outro zagueiro do River cortou o cruzamento com o braço – Penalti para o São Paulo!!! O Morumbi nem deu tempo de chamar Rogério, que já partia em direção ao gol de Coonstanzo, muito concentrado o camisa 1 ajeitou a bola com muito cuidado e bateu firme no canto esquerdo, o goleiro argentino quase defende, mas a cobrança foi precisa! (até hoje quando assisto o gol acho que o goleiro vai defender) É o segundo gol Tricolor!!! Gol de Rogério Ceni! O Morumbi cantava de alegria, um grito ensurdecedor de alegria tomava conta do Cicero Pompeu de Toledo, Rogério festejou muito aquele, pois experiente, sabia da importância daquele 2 x 0!

Aos 46 minutos em uma bola lançada no ataque, Luizão sairia de cara pro gol, mas antes da bola chegar na grande área, o goleiro Constanzo saiu como um louco do gol e deu um soco na bola impedindo que a mesma sobrasse para o camisa 11 Tricolor. Amarelo para o goleiro e nova chance de Rogério ampliar, o camisa 1 bateu muito bem a falta, mas o goleiro se redimiu e defendeu com segurança. Final de jogo, e vantagem de 2×0 para o Tricolor!

JOGO DE VOLTA – SÃO PAULO 3 X 2 RIVER PLATE – MONUMENTAL DE NUÑEZ

amoroso_spfcxriver

Para o São Paulo bastava o empate para a classificação, até uma derrota por um 1 gol ou por uma diferença que o gol marcado fora de casa levasse o Tricolor para a final era o necessário para colocar o São Paulo 11 anos depois em uma final de Libertadores!

Paulo Autori utilizou o mesmo esquema tático mais fechado, buscando a valorização do meio de campo (lembrando que o São Paulo tinha duas formações táticas na Libertadores, 4-4-2 e 3-5-2).

O time veio escalado com Rogério Ceni no gol, na zaga: Lugano mais centralizado, Fabão e Alex, no meio tinha Josué de volante, as alas eram compostas por Júnior pela esquerda e Mineiro pela direita também cumprindo o papel de volante, mais adiantado tinha desta vez Souza e ao lado dele o armador Danilo, no ataque Amoroso e Luizão!

O Tricolor tinha muita qualidade e não ficou esperando o River jogar para encaixar contra-ataque, logo aos 11 minutos do primeiro tempo em escanteio cobrado pelo habilidoso Souza, Danilo aproveitou e subiu de cabeça para abrir o placar! Após uma multidão de jogadores na grande área do River, São Paulo 1 x 0!

O São Paulo abriu uma vantagem de três gols e obrigou o River a se lançar ao ataque, até que aos 35 minutos do segundo tempo, o River sofreu uma falta no lado direito do campo e com muita pressa lançou a bola na área, a zaga do São Paulo ainda não estava recomposta e a bola caiu no peito de Farias que dominou entre os zagueiro e bateu forte no canto de R.Ceni, 1×1.

O River era liderado pelo camisa 10 Gallardo que acertou uma bola no travessão de Rogério que nada pode fazer com um chute preciso que por sorte acertou o poste superior do camisa 1.

O River queria mais, e novamente Gallardo chutou muito bem, mas viu Rogério Ceni se esticar todo e espalmar para escanteio no chute preciso do camisa 10 no lado direito do arqueiro Tricolor aos 40 do primeiro tempo!

O segundo tempo começou com pressão dos argentinos e em um rebote da zaga Tricolor, Sambueza chutou forte no centro do gol, mas Rogério segurou firme e já iniciou o contra-ataque com Alex que deu um chutão lançando Luizão no centro do ataque que de cabeça tocou para Júnior que vinha correndo pela esquerda, o São Paulo ficou em um 3 contra 2, então Júnior carregou e viu Amoroso que corria livre lá pelo lado direito e com muita precisão em um toque rasteiro tocou para Amoroso encher o pé no centro do gol, 2 x 1 São Paulo!

O River continuou pressionando e Diogo após um bate-rebate na zaga o zagueiro chutou forte no travessão de Rogério que estava na bola.

O Tricolor aproveitou a qualidade do meio de campo para trabalhar a bola e numa jogada que começou com Júnior pela direita se livrando de dois jogadores argentinos fez a bola chegar ao lado esquerdo do campo no pé de Josué para Mineiro e Souza que lançou Danilo que partiu para cima da marcação de Amelli e em um drible desconcertante deixou o defensor no chão, cruzando para Luizão que cabeceou para o goleiro Constanzo dar rebote e Mineiro completar para o fundo da rede, mas o gol foi anulado de forma errada pelo juiz que alegou que o camisa 7 tirou a bola da mão do goleiro, sendo que a bola em jogo…

Gallardo arriscava chutes de fora da área mas Rogério fez uma parede no gol Tricolor. A torcida do River começou a atirar pedra nos Tricolores presentes no estádio que tiveram que deixar o jogo. Mas os 2 x 1 não eram o bastante e os 34 minutos Souza driblou o defensor argentino na ponta direita e rolou para Fabão encher o pé em uma bola que desviou em Mascherano (freguês do Tricolor) e enganou Constanzo, 3 x 1 e a vaga na final era questão de tempo!

Aos 39 o River ainda descontou com Salas em um chute cruzado no lado esquerdo de Rogério que se esticou, mas por pouco não chegou na bola, um chute muito preciso, tarde demais para os argentinos e por 3 X 2 o São Paulo era o finalista da Libertadores contra o Atlético-PR, após um jogaço na Argentina!

FINAL

JOGO DE IDA – ATLÉTICO -PR 1 X 1 SÃO PAULO – BEIRA-RIO

O jogo de ida seria no Beira-Rio por mando da Conmebol, já que a Arena da Baixada não tinha capacidade mínima estabelecida pela Conmebol para uma final de Libertadores.

O Tricolor chegava a uma decisão de Libertadores 11 anos depois, desta vez com o estreante Atlético Paranaense que disputava sua primeira final. O time do Paraná tinha bom jogadores como o zagueiro Durval e Marcão, os meias Fernandinho e Fabricio e o ataque era formado por Lima e Aloísio que meses depois iria vestir o manto Tricolor par afazer história!

O Tricolor entrou em campo com o seu time de guerreiros comandos por Paulo Autuori com Rogério Ceni, Fabão, Lugano e Alex; Cicinho, Mineiro, Josué, Danilo e Júnior; Amoroso e Luizão!

O jogo era de final de Libertadores, os jogadores davam a vida em campo e os mandantes conseguiram abrir o placar em um cruzamento feito por Jancarlos (que um dia também vestiria a camisa do SPFC) para Aloisio subir mais que Fabão e cabecear para o fundo do gol… Pronto! Todos os pensamentos negativos naquele momento passaram pela cabeça da torcida Tricolor – “Será que vamos perder o título para esse time do Altético?”. Mas era cedo demais, o elenco Tricolor manteve a calma e soube equilibrar o jogo.

Outra chance do Atlético em bola cruzada na área e quase um jogador do Atlético chega e arremata para o fundo do gol, por muita sorte aquela bola passou direto…

O Tricolor foi para cima com Júnior pelo meio que lançou Danilo pela esquerda que dominou a bola e cortou para o meio e rolou para Mineiro encher o pé de fora da área, mas o zagueiro tirou a bola que tinha caminho certo no canto esquerdo do goleiro Diego! O frio na barriga aumentava!

O Tricolor chegava de novo após Luizão matar a bola no peito e deixar para Cicinho mandar um foguete de perna direita, mas a bola saiu torta ao lado direito de Diego…

O São Paulo era melhor, e em cobrança de escanteio cobrada por Júnior, o camisa 6 tentou fazer um gol olímpico… a bola acertou o travessão! Seria fantástico um gol daquele em uma final de Libertadores! No rebote do travessão a bola sobrou no tumulto na grande área e Amoroso ainda conseguiu tocar meio sem jeito para Danilo que de cabeça jogou a bola no canto direito de Diego, mas a zaga afastou também de cabeça para a linha de fundo… Parecia que a bola não queria entrar!

O Atlético Paranaense voltou ao jogo após um chute de Lima no centro do gol, mas Rogério muito atento salvou sem dar rebote ao atacante do time paranaense.

Era pressão Tricolor, Luizão em uma boa jogada deixou Mineiro com espaço, ainda que fora da área o camisa 7 arriscou um belo chute e obrigou Diego a se esticar todo para dar um tapa para escanteio.

O segundo tempo começou da mesma forma que acabou o primeiro tempo – Pressão Tricolor para cima do Atlético-PR e logo aos 6 minutos veio a redenção são-paulina! Fabão sobre falta lá na ponta direita de ataque. O Tricolor cobra a falta no meio do tumulto atleticano e o baixinho Mineiro resvalou de cabeça, obrigado Diego a espalmar, mas em cima do zagueiro do Durval que estava na sua frente e a bola morrer no gol do Atlético! O grito de gol se misturava com uma sensação de alívio… não estávamos na frente do placar, mas aquele gol contra serviu para colocar o São Paulo nos trilhos, já que o Tricolor era melhor na partida, mesmo jogando fora de casa. Era o gol do empate!!!

O atlético percebeu que deveria usar o fator mandante a seu favor e decidiu atacar com Fabricio que arriscou um chute para a defesa em dois tempos de Rogério Ceni no centro do gol! Era o paredão Tricolor!

O São Paulo mais uma vez na raça foi para cima dos atleticanos e Cicinho em velocidade pela direita se livrou do marcador e cruzou rasteiro, a bola passou por toda a zaga rubro-negra e quaaaaase deu para o Amoroso que se esticou de carrinho se antecipando do zagueiro, mas a bola saiu pela linha de fundo… O São Paulo perdia muitas chances de gol!

O Tricolor mandava no jogo e teve uma ótima oportunidade, em jogada iniciada por Luizão pelo meio que tocou para Cicinho, o camisa 2 arrancou e viu Josué sozinho entre os defensores adversário, e deu um presente para o camisa 8, cara a cara com o goleiro, Josué bateu de primeira no canto e Diego foi buscar a bola! Tenho certeza que o camisa 8 foi muito xingado após os gritos de “UUUUHHH” da torcida Tricolor! Era a chance mais clara de gol…

O Tricolor era melhor e Júnior arriscou jogada individual pela meia esquerda se livrando de dois marcador e não se sabe se ele tentou chutar ou cruzar, a verdade é que a bola fez uma curva para dentro e passou perto do gol de Diego!

Nos últimos instantes do jogo, Cocito levantou a bola na grande área e Lima cabeceou muito bem e a bola passou á centímetros da trave esquerda de Rogério que estava na bola, mas depois do lance segurou a trave com quem diz – Ainda bem que foi para fora! Aquele tipo de lance que você vê no replay e mesmo assim pensa que o gol vai sair a cada reprise do lance…

Assim terminou a primeiro jogo da Final da Libertadores – Atlético Paranaense 1 x 1 São Paulo! O Tricolor jogou melhor e conseguiu um bom resultado (o gol fora de casa não tem peso na final), mas levaria a decisão para o Morumbi!

O que achou?

Escrito por Kaique