A fatia que pertence ao São Paulo está travando a negociação por Militão

Porto e Real Madrid já estão acertados sobre o valor que o clube espanhol pagará por Militão, o entrave agora é a parte que pertence ao São Paulo

A negociação para tirar Militão, ex-jogador do São Paulo do Porto, de Portugal já está quase completa. 

O valor acertado entre Porto e Real Madrid é de 50 milhões de euros (cerca de R$ 209,6 milhões, na cotação desta sexta-feira). Mas o problema é a parte que o São Paulo tem direito, por ser o clube formador do atleta. 

Militão saiu de Cotia e por conta do chamado mecanismo de solidariedade da Fifa, uma compensação tem que ser dada ao clube formador do atleta.

Segundo o jornal espanhol Marca, esse valor é de 6 milhões de euros (R$ 25,1 milhões), que nenhum dos dois clubes quer pagar ao Tricolor. 

O Real Madrid entende que cabe ao Porto passar para o São Paulo parte dos 50 milhões de euros que receberá por Militão. Já o clube português quer 50 milhões de euros livres e que os espanhóis paguem mais 6 milhões de euros ao São Paulo.

A reportagem do jornal Marca não explica o valor de 6 milhões de euros. Na época da venda para o Porto, em julho do ano passado, o São Paulo informou que, no contrato com os portugueses, teria direito a 10% de uma venda futura (ou seja, 5 milhões de euros nessa transação com o Real Madrid, pouco menos de R$ 21 milhões) e mais o valor como clube formador.

Essa quantia do mecanismo de solidariedade da Fifa pode chegar até 5% do valor total da transação, dependendo da quantidade de temporadas do jogador (entre 12 e 23 anos) num clube, com pesos diferentes: 0,25% em cada um dos quatro primeiros anos (dos 12 aos 15), e 0,5% em cada ano seguinte (dos 16 aos 23 anos).

Éder Militão chegou à base do São Paulo com 13 anos e saiu com 20. Ou seja, o São Paulo poderia ter direito a 3,25% pelo mecanismo de solidariedade, o que representaria 1,625 milhões de euros (R$ 6,8 milhões), resultando em 6,625 milhões de euros no total para o Tricolor paulista (R$ 27,7 milhões, na cotação desta sexta-feira).

A reportagem do Marca lembra que cabe ao novo clube pagar a indenização ao formador – ou seja, o Real Madrid pagaria o São Paulo. 

A diretoria do Real Madrid, porém, estaria se mantendo irredutível na negociação com o Porto, alegando que o valor de 50 milhões de euros já contemplaria a parte do São Paulo. 

Foto: Getty Images
Fonte: Globoesporte.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *