in

2016 para esquecer “quase tudo” – Por Alezão da Massa

Esse ano, poucos jogos fizeram nós tricolores sentir de volta o orgulho que temos por esse time, de resto, um ano para não repetir NUNCA MAIS

Um 2016 para ser esquecido pela nação tricolor, porém, três momentos eu não quero que tirem da memória de vocês, pois foram momentos de alegria e superação: dois jogos épicos na Libertadores, como há tempo que o coração deste jovem senhor de 40 anos que vos fala não via.

SPFC x Gaylos, no Independência e SPFC x Strogonoff na Bolívia. Aquele dia vimos raça, brio, vontade de vencer e de honrar nosso manto sagrado, somente com muito danone para o coração aguentar a emoção esse dia????.

E também, não pra não citar aquele passeio de bola, vareio, atropelo, em cima do time da mídia, e que atropelo, com direito a uma churrascada regado a muito danone antes do jogo com meus amigos da Resistencia Tricolor na rua do Sacrossanto Moruntri, SPFC 4 x 0 galinhada e que dia fantástico.

Também nos iludimos achando que chegaríamos no G6, lógico, torcemos para o Clube da Fé, na alegria e na tristeza, estamos em todos os jogos e agora como torcedor desde dos meus 0 anos de idade, DNA ?⚪⚫, que ganhei esse humilde espaço para representar um pouco a nação, espero que as mudanças venham logo no começo de 2017.

Chega de Carlinhos, Migués Bostas, Brunos cansados, Guilhermes, Daniels, Wesleys lixos da vida, Denis… etc, chinelinhos que não amam e não estão nem aí para a grandeza do nosso Tricolaço, porra, sou quarentão, já vi Cafu, Pintado, Cerezzo, Leonardo, Dário Pereira, Oscar, Silas, Müller, Careca, Rai o terror do morumbi, Ze Teodoro, Adilsao, Miineiro, Josué, Pita, apenas alguns exemplos de jogadores que não ganhavam 50% de alguns jogadores que o que tem de melhor são os empresários, na época romântica do futebol, onde nem tudo era grana, era amor e tesao se vestir o manto sagrado.

“Não ao futebol moderno” que mágico ver o Careca estufar a rede do brinco de ouro da princesa ais 14:47 segundos, do segundo tempo da prorrogação em 1986 e levar a final para os pênaltis e nos sagrarmos Bi-campeões Brasileiros de 1986 em 87… ahhhh que tempo. 2017 vem aí!

Não citei nosso M1TO nos jogadores acima porque dispensa qualquer tipo de lembrança, ele é inesquecível e se for como técnico, 50% que foi como atleta, (mas se tratando do Rogério Ceni, 101% é pouco).

Não teremos mais vagabundos e chinelinhos no nosso amado Tricolaço, vejo anos de muitas conquistas e glórias, tenho fé que escrevera sua história vitoriosa como técnico daqui pra frente e trazer muitas alegrias para nação e colocar o nosso SPFC no lugar de onde ele nunca deveria ter saído… “Como eu te amo tricolor”.

Por: Alezão da massa tricolor paulista amado o clube brasileiro.

Espero que tenham gostado, sempre tentarei trazer algo da atualidade e do arco velha, afinal sou um jovem senhor ◦ SPFCNOTICIAS

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara